_
_
_
_

Alec Baldwin é acusado de negligência por testemunha da morte de diretora de fotografia

Um técnico do filme ‘Rust’ processa o ator e produtor, atribuindo o disparo que atingiu Halyna Hutchins a outras duas pessoas

Luis Pablo Beauregard
Caso Alec Baldwin demanda Rust
O advogado Gary Dordick e seu cliente Serge Svetnoy concedem entrevista coletiva nesta quarta-feira em Los Angeles.PATRICK T. FALLON (AFP)

As coisas começam a se complicar para Alec Baldwin depois da tragédia de Rust. Serge Svetnoy, um dos técnicos do western em cuja rodagem Halyna Hutchins morreu, vitimada por um disparo acidental em 21 de outubro, apresentou uma denúncia contra o protagonista e produtor do filme. O autor da ação, o primeiro a levar o caso aos tribunais, acusa os responsáveis pela produção de negligência e falta de profissionalismo. Considera que erraram na hora de implementar as medidas de segurança necessárias para proteger a equipe durante a rodagem no rancho Bonanza Creek, em Santa Fe, capital do Novo México.

“Nunca, nunca deveria haver balas de verdade no set”, disse na terça-feira Gary Dordick, o advogado que representa Svetnoy na ação. Ele atuava como gaffer, o encarregado da iluminação, uma das funções mais próximas de Hutchins, a diretora de fotografia. É um dos poucos que estavam presentes no momento do disparo.

Svetnoy descreve em sua ação o momento do acidente. Afirma ter sentido um “estranho e terrível” golpe de ar do lado direito do corpo, e como a pólvora espirrava em seu rosto. O texto narra também como a vida de Hutchins foi se apagando enquanto Svetnoy a segurava em seus braços durante “20 ou 30 minutos” e ela sangrava e perdia a consciência, após ser atingida no peito. “Isto o perseguirá para sempre”, afirmou Dordick sobre seu cliente, que começou a chorar depois que os paramédicos chegaram à locação para levar a fotógrafa a um hospital de Albuquerque. Dordick diz que o objetivo da ação não é obter dinheiro para o seu cliente, e sim melhorar as condições de segurança nas filmagens.

Além de citar Baldwin, em sua ação Svetnoy também responsabiliza o assistente de direção Dave Halls e a armeira Hannah Gutiérrez-Reed. Não é a primeira vez que o técnico aponta culpados. Poucos dias depois da tragédia, o gaffer manifestou no Facebook suas dúvidas sobre o profissionalismo de Gutiérrez-Reed. “Estou certo de que tínhamos profissionais em todos os departamentos, exceto um, o departamento que se encarrega das armas... Não há como uma mulher de 24 anos possa ser especialista em armamento”, escreveu ele nas redes sociais. “Para poupar algum dinheiro, às vezes se contrata gente que não está completamente qualificada para fazer um trabalho complicado e perigoso. E isso põe em risco a vida de outros e a própria”, acrescentou então.

O caso ainda está à espera de que a promotora distrital de Santa Fe apresente acusações. Numa entrevista coletiva no final de outubro, as autoridades não descartavam acusar Baldwin, que foi quem apertou o gatilho de uma Colt 45 que teoricamente deveria estar carregada com balas de festim, mas aparentemente continha munição real, nem contra os membros da produção que deveram revisar as armas a serem utilizadas na filmagem, ambientada no selvagem oeste norte-americano do final do século XIX.

A inação do Ministério Público até o momento provocou uma troca de acusações e especulações entre os protagonistas da tragédia. Jason Bowles, o advogado da armeira Gutiérrez-Reed, apostou na teoria da sabotagem. Em uma entrevista transmitida pela televisão, ele disse que alguém introduziu na rodagem uma bala de verdade, como forma de protesto pelas queixas de sete operadores de câmera que tinham abandonado o set queixando-se de abusos e excessos da produção. “Estamos convencidos de que isto foi uma sabotagem e que estão montando uma armadilha para Hannah”, afirmou Bowles nesta quarta-feira em um comunicado depois da ação movida por Svetnoy.

Lane Luper, um dos operadores de câmera que protestaram pelas condições de trabalho, negou taxativamente as insinuações da defesa de Gutiérrez-Reed. “A ideia me repugna... Dizer isso é irresponsável, uma calúnia e é francamente desagradável”, disse o técnico numa entrevista à publicação The Hollywood Reporter.

Alec Baldwin e sua mulher, Hilaria Thomas, nesta quinta-feira com um de seus filhos em Nova York.
Alec Baldwin e sua mulher, Hilaria Thomas, nesta quinta-feira com um de seus filhos em Nova York.SplashNews.com (GTRES)

Baldwin, para quem todos os holofotes estão voltados agora, mostrou-se prudente nas semanas posteriores ao incidente. Dez dias depois do disparo, aceitou a contragosto fazer um pronunciamento em um tenso encontro com a imprensa. Nesta segunda-feira, ele propôs no Twitter que todas as gravações de cinema e televisão contem com policiais para monitorar as armas, sejam elas falsas ou verdadeiras.

A morte de Hutchins já começou a deixar sequelas nas rodagens. O filme independente The Locksmith, protagonizado por Ryan Phillippe e Kate Bosworth, que também será filmado no Novo México, só usará modelos de armas de borracha, e os disparos serão incluídos como efeitos especiais na pós-produção.

Dwayne Johnson, um dos atores mais influentes de Hollywood, também confirmou recentemente que só utilizará armas de plástico nas próximas produções de sua empresa, a Seven Bucks. “Não posso falar por outras produtoras nem por outros estúdios, mas posso dizer que isto [o acidente] me abriu uma nova perspectiva sobre como lidaremos com as coisas de agora em diante”, afirmou ele durante a estreia de Red Notice.

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_