Bolsonaro chega ao limite da indecência ao banalizar a morte

A opção do presidente por comemorar um suposto fracasso de uma vacina e usar um cadáver como instrumento de poder coloca em letras garrafais a dimensão da crise ética que vivemos

Bolsonaro é observado pelo vice, Hamilton Mourão, durante cerimônia no Palácio do Planalto, na segunda.
Bolsonaro é observado pelo vice, Hamilton Mourão, durante cerimônia no Palácio do Planalto, na segunda.EVARISTO SA / AFP