Agente 007 agora é uma mulher negra: Lynch, Lashana Lynch

A atriz britânica herda a licença para matar de James Bond, novamente interpretado por Daniel Craig, no longa atualmente em filmagem

A atriz Lashana Lynch em fevereiro, em Londres, na estreia de ‘Capitã Marvel’.
A atriz Lashana Lynch em fevereiro, em Londres, na estreia de ‘Capitã Marvel’.TOLGA AKMEN (AFP)
Mais informações

A saga de James Bond continua com Bond. Não podia ser diferente. E com Daniel Craig como protagonista. Mas, pelo que contou uma fonte da produtora ao Daily Mail, quando M (Ralph Fiennes), o chefe do serviço secreto, convoca 007 para a ação, quem aparece não é Bond, e sim um novo espião. Na verdade, uma espiã: a atriz britânica Lashana Lynch. O novo filme da saga, com o título de trabalho de Bond 25, está sendo filmado em Londres, com a direção de Cary Fukunaga.

O que se sabia até agora sobre o enredo era que Bond interrompe a aposentadoria quando seu amigo da CIA Felix Leiter − que atualmente é interpretado por Jeffrey Wright, mas já teve vários rostos − lhe pede ajuda. O restante do elenco repete Ralph Fiennes, Ben Whishaw (como o eficiente engenheiro Q), Rory Kinnear (como Tunner), Naomie Harris (como Moneypenny, que no século XXI já não é uma secretária tonta), Léa Seydoux (como Madeleine Swann) e Christoph Waltz (como o grande vilão da saga Bond, Blofeld).

Lashana Lynch (Londres, 31 anos) começou no cinema com Fast Girls (2012). Sua atuação mais conhecida é a da piloto Maria Rambeau, a amiga da protagonista em Capitã Marvel. A mudança de gênero no personagem de 007 − esse continua sendo o número do espião, não é que Bond seja uma mulher − ocorre depois que a Disney anunciou que a próxima protagonista de A Pequena Sereia será uma atriz negra, Halle Bailey.

Talvez esta nova espiã seja ideia da roteirista Phoebe Waller-Bridge, que ordenou, segundo a fonte da equipe de produção, a substituição do termo Bond girl (“garota Bond”) por Bond woman (“mulher Bond”). Waller-Bridge, roteirista e também protagonista da série Fleabag, disse quando entrou no projeto que a saga precisava crescer, “e o mais importante é que o filme trate as mulheres de maneira correta”. Não é a primeira vez que James Bond perde ou renuncia ao seu 007, sua licença para matar (esse é o significado dos dois zeros): o último filme da saga estrelado por Timothy Dalton, 007 − Permissão para Matar, gira em torno dessa ideia.

Regras

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: