Agente 007 agora é uma mulher negra: Lynch, Lashana Lynch

A atriz britânica herda a licença para matar de James Bond, novamente interpretado por Daniel Craig, no longa atualmente em filmagem

A atriz Lashana Lynch em fevereiro, em Londres, na estreia de ‘Capitã Marvel’.
A atriz Lashana Lynch em fevereiro, em Londres, na estreia de ‘Capitã Marvel’.TOLGA AKMEN (AFP)

MAIS INFORMAÇÕES

A saga de James Bond continua com Bond. Não podia ser diferente. E com Daniel Craig como protagonista. Mas, pelo que contou uma fonte da produtora ao Daily Mail, quando M (Ralph Fiennes), o chefe do serviço secreto, convoca 007 para a ação, quem aparece não é Bond, e sim um novo espião. Na verdade, uma espiã: a atriz britânica Lashana Lynch. O novo filme da saga, com o título de trabalho de Bond 25, está sendo filmado em Londres, com a direção de Cary Fukunaga.

O que se sabia até agora sobre o enredo era que Bond interrompe a aposentadoria quando seu amigo da CIA Felix Leiter − que atualmente é interpretado por Jeffrey Wright, mas já teve vários rostos − lhe pede ajuda. O restante do elenco repete Ralph Fiennes, Ben Whishaw (como o eficiente engenheiro Q), Rory Kinnear (como Tunner), Naomie Harris (como Moneypenny, que no século XXI já não é uma secretária tonta), Léa Seydoux (como Madeleine Swann) e Christoph Waltz (como o grande vilão da saga Bond, Blofeld).

Lashana Lynch (Londres, 31 anos) começou no cinema com Fast Girls (2012). Sua atuação mais conhecida é a da piloto Maria Rambeau, a amiga da protagonista em Capitã Marvel. A mudança de gênero no personagem de 007 − esse continua sendo o número do espião, não é que Bond seja uma mulher − ocorre depois que a Disney anunciou que a próxima protagonista de A Pequena Sereia será uma atriz negra, Halle Bailey.

Talvez esta nova espiã seja ideia da roteirista Phoebe Waller-Bridge, que ordenou, segundo a fonte da equipe de produção, a substituição do termo Bond girl (“garota Bond”) por Bond woman (“mulher Bond”). Waller-Bridge, roteirista e também protagonista da série Fleabag, disse quando entrou no projeto que a saga precisava crescer, “e o mais importante é que o filme trate as mulheres de maneira correta”. Não é a primeira vez que James Bond perde ou renuncia ao seu 007, sua licença para matar (esse é o significado dos dois zeros): o último filme da saga estrelado por Timothy Dalton, 007 − Permissão para Matar, gira em torno dessa ideia.

Arquivado Em: