Daniel Craig: “Preferiria cortar os pulsos a voltar a ser James Bond”

Ator deixa mais que claro que não deseja continuar interpretando o agente secreto

Há uma semana Daniel Craig falava sobre a possibilidade de não continuar interpretando James Bond: "Trabalho muito. Está ficando mais duro, mas a vida também é. Continuarei enquanto fisicamente puder me permitir". O ator, que ainda tem contrato para mais um filme e está agora promovendo Spectre Contra 007, o mais recente episódio da saga dirigida por Sam Mendes, se mostrava então inclinado a continuar sendo o agente secreto.

Esta quinta-feira, porém, nos desperta com surpreendentes declarações dele à revista Time Out, que contradizem o que expressou na semana passada. Daniel Craig é taxativo e muito direto: preferiria cortar os pulsos a voltar a interpretar James Bond. Essa é a resposta que dá quando lhe perguntaram algumas horas atrás se poderia imaginar-se novamente interpretando o protagonista dos romances de Ian Fleming. Mais tarde, para contrabalançar essas declarações, acrescentou que não queria pensar na possibilidade pelo menos durante um ano ou dois, e que se o fizer será por uma questão econômica.

MAIS INFORMAÇÕES

Craig fez essas afirmações num momento em que está promovendo o novo lançamento da saga, na quarta vez em nove anos que assume o papel do agente 007. Essas respostas surpreendem por contradizer outras surgidas recentemente, nas quais o ator dizia que seguiria em frente sempre e enquanto pudesse fisicamente.

Muitos nomes foram mencionados nos últimos meses para substituir Craig no papel de Bond: Idris Elba, Henry Cavill ou o nome que parece liderar as apostas ultimamente, Damian Lewis. Rosto conhecido para os seguidores da série Homeland, e que até mesmo fez piada sobre a possibilidade de se tornar o primeiro ruivo a interpretar o agente. Perguntaram também a Daniel Craig sobre quem deveria ser seu substituto, e ele respondeu, novamente de modo taxativo: "I don't give a shit", (estou me lixando), boa sorte para quem fizer. Quando lhe perguntaram que conselho daria a seu sucessor, disse: Não o arruíne, você tem de superar-nos, tem de ser grandioso. Não o arruíne, apenas o leve ao limite, é James Bond. Vale a pena".