Seleccione Edição
Login

Furioso ‘Filho do Krakatoa’ retumba na Indonésia

Vulcão emergiu das águas há 90 anos, formado pelo lendário Krakatoa, e há 10 está sob forte vigilância

tsunami indonésia
Imagem do Anak Krakatoa, tirada em julho, durante uma de suas erupções. EFE

O vulcão provavelmente responsável pelo tsunami mortal que assolou a Indonésia na noite de sábado emergiu das águas há 90 anos, formado pelo lendário Krakatoa. Há 10 está sob forte vigilância. O Anak Krakatoa, que significa filho do Krakatoa em indonésio, está especialmente ativo desde junho. De vez em quando cospe enormes colunas de cinza. Em outubro, um barco turístico quase foi alcançado por pedaços de lava.

De acordo com os especialistas, o Anak Krakatoa se formou por volta de 1928 na caldeira – uma grande bacia cuja origem é uma erupção que causa o colapso do topo de um vulcão – do lendário Krakatoa, transformando-se em uma pequena ilha vulcânica, cuja cratera tem agora uma altitude de 300 metros acima do nível do mar.

Desde seu nascimento, o Anak Krakatoa se encontra em um “estado de atividade eruptiva semiperpétua”, e cresce com as erupções que ocorrem a cada dois ou três anos, segundo o vulcanologista Ray Cas da Universidade de Monash, Austrália. “A maioria das erupções é relativamente pequena em relação às erupções explosivas”, diz. O episódio de sábado parece uma “erupção explosiva relativamente pequena”, afirmou o especialista. Ela, entretanto, pode ter desencadeado ou ocorrido ao mesmo tempo que um evento submarino, como um deslizamento de terra e um terremoto, que por fim provocou o tsunami mortal.

Ainda que a ilha seja desabitada, o vulcão é um destino popular aos turistas e um objeto de estudo importante aos vulcanologistas. O Anak Krakatoa faz parte desde 1991 do Parque Nacional de Ujung Kulon, inscrito no Patrimônio Mundial da Unesco por sua “beleza natural”, “flora e fauna muito diversificadas que refletem uma evolução permanente de processos geológicos”.

Em 27 de agosto de 1883, o Krakatoa entrou em erupção e lançou cinzas a mais de 20 quilômetros de altura em uma série de explosões muito fortes que foram ouvidas na Austrália e até a 4.500 quilômetros de distância, perto das Ilhas Maurício. Pela grande quantidade de cinzas lançadas no ar, a região ficou na escuridão por dois dias. O ano que se seguiu a essa explosão, por conta do pó, o pôr do sol e o amanhecer de todo o mundo foram espetaculares. E também devido a isso, o clima foi alterado à época. O tsunami causado pela erupção matou mais de 36.000 pessoas, e é considerado um dos piores desastres naturais do mundo.

A Indonésia, um arquipélago de 17.000 ilhas e ilhotas com aproximadamente 130 vulcões ativos, está no Círculo de Fogo do Pacífico, uma área de forte atividade sísmica.

MAIS INFORMAÇÕES