Final da Copa Libertadores 2018

Final da Libertadores entre River e Boca é adiada após ataque a ônibus

Nos arredores do estádio Monumental, torcedores do River Plate apedrejaram veículo com a delegação do Boca Juniors, que teve jogadores feridos por estilhaços

Mais informações

A final da Copa Libertadores 2018 entre River Plate e Boca Juniors foi adiada para este domingo, 18h (horário de Brasília). Na chegada ao Monumental de Nuñez para o segundo jogo da decisão, o ônibus do Boca foi recebido com pedradas e bombas de gás de pimenta arremessadas por torcedores rivais. Estilhaços dos vidros feriram jogadores como o capitão xeneize Pablo Pérez, que sofreu um corte no braço e uma lesão no olho esquerdo. Ele precisou ser atendido em uma clínica fora do estádio.

Um dos ocupantes que sentiram os efeitos do gás, o atacante Carlos Tévez contou que os atletas estavam cantando dentro do ônibus quando foram surpreendidos pelo ataque que quebrou vários vidros do veículo. Ele ainda criticou dirigentes da FIFA e da Conmebol que tentavam forçar a realização da partida, apesar dos jogadores feridos do Boca. "Não estamos em condições de atuar. Querem nos obrigar a jogar a partida."

Depois de uma reunião com os presidentes dos clubes e um acordo de cavalheiros entre os dois times, que se negavam a entrar em campo, o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, anunciou o adiamento da final. "Atletas das duas equipes não queriam jogar", justificou.

A diretoria do River Plate já pediu a seus torcedores que guardem os ingressos para poder acessar o estádio neste domingo. Revoltados com os distúrbios, que também incluíram conflitos entre barrabravas e policiais na entrada do Monumental, os aficionados milionários protestaram contra o presidente argentino Maurício Macri antes de deixar as arquibancadas. No jogo de ida, o confronto na Bombonera também precisou ser adiado por causa das fortes chuvas que castigaram Buenos Aires.

Acompanhe ao vivo a final River x Boca, minuto a minuto:

O mais visto em ...Top 50