Xavi: “Cultivar o talento é o futuro do futebol”

Ídolo da equipe catalã escreve sobre a próxima grande evolução do futebol: "Fator decisivo não são os jogadores com presença física, e sim aqueles que dão sentido ao jogo"

Mais informações

Vinte anos depois de minha estreia no FC Barcelona, o futebol ainda me causa a mesma emoção, paixão e alegria do que quando entrei em campo pela primeira vez. Sempre me perguntam como o futebol evoluirá, qual é o seu futuro. Para mim, a resposta é tão simples como emocionante: talento.

O futebol alcançou um nível incrível de desenvolvimento físico. A maioria dos dados que recebemos através dos meios de comunicação está relacionada com o rendimento físico; um jogador correu 12 ou mesmo 13 quilômetros, alcançou uma determinada velocidade máxima. Claro que isso é importante. Mas acho que alcançamos um limite do desenvolvimento físico. O jogador não pode correr mais, a intensidade não pode ser mais alta, pois já equivale a quase metade de uma maratona em dois jogos. Acredito que é pelo lado do talento, assim como do conhecimento técnico e tático, que ainda podemos melhorar.

Acho que esta pode ser a próxima grande evolução do futebol. O talento é o que faz a diferença em uma partida. A cada semana acompanho jogos de todo o mundo, muitos – talvez até demais, se você for perguntar à minha mulher. Em todos os países e em todos os campeonatos, procuro times que joguem um futebol ofensivo e jogadores com talento. Para mim, o fator decisivo não são os jogadores com presença física, e sim aqueles que dão sentido e estrutura ao jogo.

Em poucas semanas veremos muitos jogadores que se destacam. Espero assistir e me divertir com a Copa do Mundo da FIFA 2018 na Rússia, porque um Mundial é algo realmente incrível. Tive a sorte de disputar quatro, e a honra de levantar o troféu na África do Sul junto com meus companheiros da seleção espanhola. Neste ano, será a primeira vez desde que eu era adolescente que poderei viver uma Copa do Mundo como torcedor.

Irei à Rússia com o Generation Amazing, um programa criado pelos organizadores da Copa do Catar-2022 que promove a inclusão e o desenvolvimento social através do futebol no Catar e em toda a região. Entre outras atividades, levaremos os operários que trabalham na construção dos estádios catarianos para o jogo inaugural da Copa do Mundo na Rússia. É um modo de retribuir o esforço daqueles que estão ajudando a construir este país.

Acho que alcançamos um limite do desenvolvimento físico. O jogador não pode correr mais, a intensidade não pode ser mais alta

No Barcelona aprendi a ser altruísta e empático e a ajudar a outros. São valores que pude colocar em prática no Oriente Médio graças ao Generation Amazing. Há alguns anos viajei à Jordânia com esse programa e conheci Hadeel e outras garotas residentes em um campo de refugiados que agora conta com um espaço seguro onde elas também podem jogar futebol. Inspira-me a paixão pelo futebol que vejo nesta região. Afinal de contas, treinar é uma oportunidade para ajudar os jovens jogadores a alcançarem seu máximo potencial neste esporte que todos amamos.

Esta é uma etapa importante para o meu clube no Catar, o Al Sadd. Começamos a etapa final da temporada nas finais das duas competições catarianas, a Copa do Catar e a Copa do Emir, e já classificados para a próxima fase da Liga dos Campeões da Ásia.

Há um ano obtivemos uma vitória memorável na final da Copa do Emir, que teve lugar no estádio Khalifa, a primeira sede terminada da Copa de 2022. Nossa experiência no Catar, tanto para mim como para minha família, está sendo fantástica. A cada dia há mais cultura futebolística ao nosso redor, especialmente quando faltam apena quatro anos para a Copa do Catar-2022.

O país está crescendo em geral, mas especialmente em termos de futebol e esporte. É um prazer estar aqui e uma adaptação perfeita da minha parte. Aqui tenho tempo de me concentrar em estudar para ser treinador e ver diferentes metodologias de treinamento na Aspire Academy. Acredito que esteja no melhor lugar para crescer como treinador, já pensando no meu futuro.

Neste mês de abril vou tirar a minha carteira de treinador em Madri, e gostaria de expressar minha gratidão à Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) e aos meus colegas que também participarão desse curso intensivo. Será um prazer dividir a sala de aula com grandes do futebol e bons amigos com quem compartilhei tantos confrontos importantes dentro de campo ao longo dos anos.

Também gostaria de expressar meu agradecimento ao meu clube e às principais autoridades do futebol catariano por acomodarem esse arranjo, que me permitirá continuar jogando pelo Al Sadd enquanto me preparo como treinador.