Crime em Perris, Califórnia

Tia das crianças sequestradas na Califórnia: “Achávamos que viviam uma vida perfeita”

Família diz que David e Louise Turpin impediam contato com seus 13 filhos, que viviam sob maus-tratos

Bolas de gás e brinquedos enviados por desconhecidos se acumulam na porta da casa dos Turpin
Bolas de gás e brinquedos enviados por desconhecidos se acumulam na porta da casa dos Turpin (AP)

MAIS INFORMAÇÕES

“Quero que as crianças saibam que durante anos suplicamos para falar com elas pelo Skype, suplicamos para poder vê-las, toda a família, durante 20 anos.” Elizabeth Flores tentava esta semana dar uma explicação para o inexplicável. Sua irmã Louise foi presa com o marido, David Turpin, por manter sequestrados seus 13 filhos em uma casa do interior da Califórnia sem verem a luz do dia e em condições que a promotoria qualifica como tortura. Os Estados Unidos se perguntam estes dias como foi possível que os Turpin mantivessem em segredo essa situação durante tantos anos.

A tia das crianças falou nesta quinta-feira à rede ABC para explicar que durante anos tentou manter contato com eles, mas sua irmã e seu cunhado os tiraram de sua vida. “Quando isso se passa durante 20 anos, até mesmo antes das crianças, você não acha anormal”, disse Flores na entrevista. “Se tivesse acontecido que há dois anos de repente nos tivessem ignorado, poderíamos ter pensado, 'epa, algo não está bem'. Mas isto acontecia desde antes de eles terem filhos. Eram muito singulares.”

Flores também revelou detalhes inquietantes de seu cunhado David. Quando estava na universidade, viveu durante um tempo com os Turpin. David costumava entrar no banheiro para olhá-la quando estava no chuveiro. Nunca disse isso a ninguém. Também declarou que o casal deixou de lado até o pai dela. Uma vez ele mandou uma mensagem de que iria visitá-los e, quando avisou que iria, Louise lhe disse que não fosse. Com o nome de Elizabeth Flores, é autora de livros de superação pessoal e de conferências.

O mundo viu com surpresa como uma família que vivia supostamente em tamanho segredo publicou fotos no Facebook de sua vida durante os últimos sete anos. Em um perfil conjunto, os Turpin postaram fotos de pelo menos três casamentos na mesma capela de Las Vegas, com o mesmo imitador de Elvis. A data da publicação das últimas fotos é entre abril e maio de 2016, com todos os filhos. Também há fotos de viagens à Disneylândia e fotos de Louise Turpin com o bebê de dois anos, a criança mais nova. As fotos têm comentários de pessoas que parecem ser amigas da família e elogiam a publicação, como o perfil de qualquer pessoa.

Louise Turpin (à esquerda) e David Turpin (com cabelos compridos brancos), na quinta-feira na audiência de Riverside, Califórnia
Louise Turpin (à esquerda) e David Turpin (com cabelos compridos brancos), na quinta-feira na audiência de Riverside, Califórnia (REUTERS)

Uma delas é Teresa Robinette, outra das seis irmãs de Louise Turpin. “Estamos machucados, impressionados e furiosos como todo mundo”, disse em uma entrevista à NBC. A irmã afirma que perguntava sobre a aparência surpreendentemente franzina das crianças. “Sempre comentava com Louise, quando falava com ela. ‘Deus, são muito magrinhos’. Ela não dava importância e dizia ‘bom, David é muito alto e magrela, vão ser como ele.”

“Nossa vida não era perfeita quando crescemos, mas ela não viveu assim. E David? David cresceu em uma família rica. De onde vem isso? É como um pesadelo”, dizia Robinette em uma entrevista no Tennessee, onde vive. Segundo ela, achavam que David tratava sua irmã como uma rainha, mas se perguntavam por que nunca lhes deixavam falar com as crianças. “Sempre prensamos que estavam vivendo uma vida perfeita. “Ela nos dizia que iam sempre à Disneylândia ou a Las Vegas.”

Louise Anna e David Allen Turpin com os filhos em Las Vegas, em uma imagem publicada por eles no Facebook
Louise Anna e David Allen Turpin com os filhos em Las Vegas, em uma imagem publicada por eles no Facebook (EL PAÍS)

Ainda são poucos os detalhes conhecidos da vida desta família. É como se houvesse um grande vazio entre o momento em que Louise Ann Robinette conheceu David Turpin e o domingo passado, quando suas fotos apareceram na mídia de todo o mundo com a descrição da situação monstruosa em que viviam seus 13 filhos. Ambos eram de Princeton, Virgínia Ocidental, de acordo com uma das tias. Viveram em Fort Worth, Texas, durante 17 anos. Mudaram-se para Murrieta, Califórnia, em 2011, e para Perris, onde foram presos, em 2014. Segundo a promotoria, os maus-tratos aos filhos foi aumentando progressivamente com os anos, especialmente a partir de 2011.

Robinette contou que Louise, nascida em 1968, se casou com David quando tinha 16 anos, em 1984. Ele era oito anos mais velho. Se o mais velho dos irmãos encontrados na casa tinha 29 anos, deve ter nascido em 1988. Sua tia diz que os Turpin eram muito rigorosos com os filhos. “Não lhes permitiam manter encontros, não podiam ter uma vida social”, disse na entrevista na televisão. “Não lhes permitiam ver televisão, falar por telefone, convidar amigos, coisas assim. Coisas normais que as crianças fazem.” Também confirmou que os Turpin renovavam seus votos matrimoniais com frequência, como se pode comprovar no Facebook.

Uma tia da mãe, Brenda Taylor, apontou uma questão própria destes tempos. “Pelas fotos do Facebook, a gente pensava que era uma grande família feliz.” Taylor não via a família desde meados dos anos noventa, quando só tinham dois filhos.

Arquivado Em: