Sexta mulher acusa George Bush pai de assédio sexual

Roslyn Corrigan diz que o incidente ocorreu em 2003, quando ela, aos 16 anos, tirava uma foto com o ex-presidente, então com 79

George H. W. Bush no último dia 29, num jogo de beisebol
George H. W. Bush no último dia 29, num jogo de beisebolUSA Today Sports (USA TODAY Sports)

Uma sexta mulher acusou o ex-presidente norte-americano George H. W. Bush de ter apalpado suas nádegas sem o consentimento dela. Roslyn Corrigan relatou nesta segunda-feira que o incidente ocorreu durante um evento em novembro de 2003, quando ela tinha 16 anos, e Bush, 79. Nas últimas três semanas, outras cinco mulheres fizeram acusações semelhantes contra o ex-mandatário republicano. Os assédios teriam ocorrido sempre na hora de posar para fotos, durante eventos realizados entre 2004 e 2016. As denúncias coincidem com uma onda de acusações de abusos sexuais cometidos por personalidades nos Estados Unidos, como o produtor de cinema Harvey Weinstein e o político republicano Roy Moore.

“George Bush não tem em seu coração [a intenção] de causar intencionalmente dano ou aflição a ninguém, e volta a se desculpar a qualquer uma que ele possa ter ofendido durante uma fotografia”, disse o porta-voz do ex-presidente, Jim McGrath, à revista Time, que veiculou a nova acusação. Quando o segundo caso eclodiu, o porta-voz admitiu que Bush, de 93 anos, às vezes “dava uma palmada nos traseiros de mulheres, de uma maneira pretensamente boa”. “Alguns viram isso como algo inocente, outros claramente como inapropriado. A qualquer uma que tenha podido ofender, o presidente Bush oferece suas mais sinceras desculpas”, acrescentou.

Em sua tentativa de pedido de desculpas, McGrath recordou que Bush – que foi presidente (1989-1993) e vice-presidente (1983-1989) dos EUA, além de diretor da CIA – está prostrado há cinco anos numa cadeira de rodas, e que “seu braço cai na cintura de pessoas com as quais tira fotografias”. O pai do também ex-presidente George W. Bush sofre, além do mais, de uma variante do mal de Parkinson e de problemas respiratórios, mas até recentemente se manteve muito ativo em atos públicos.

O argumento, entretanto, se desfaz como açúcar no caso de Corrigan, porque o evento que propicia a acusação é de 2003, e nele Bush aparece perfeitamente ereto. “Na hora em que iam tirar a foto, ele abaixou as mãos da minha cintura para as minhas nádegas e lhe deu um belo de um apertão, o que explica por que na foto minha boca está completamente aberta”, disse a mulher, que na época era menor de idade, à Time. Ela contou que se sentiu atônita e não se atreveu a dizer nada a Bush. O incidente teve lugar num escritório da CIA no Texas, onde o pai de Corrigan manteve um encontro com Bush e outros ex-agentes de espionagem.

A primeira acusação a Bush foi feita no final de outubro pela atriz Heather Lind, segundo quem o ex-presidente agarrou suas nádegas enquanto posava em 2013, na companhia da esposa, Barbara, para a foto de apresentação de uma série de TV.

Em seguida foi a vez da atriz Jordana Grolnick, segundo quem Bush a tocou sem seu consentimento quando, também na companhia da esposa, foi cumprimentar o elenco de uma peça de teatro no Maine, em 2016. Logo depois, a escritora Christina Baker Kline afirmou que em 2014, no Texas, o republicano a tocou num ato da Fundação Barbara Bush.

As acusações seguintes foram de anos em que Bush não andava em cadeira de rodas. Amanda Staples, uma ex-candidata a cargo público no Maine, disse que foi bolinada por Bush em 2006, e Liz Allen, ex-jornalista na Pensilvânia, acusa o ex-mandatário de fazer o mesmo ao posar para fotos num ato em 2004.

Arquivado Em: