Furacão Harvey

Furacão Harvey causa explosões em indústria química do Texas

Funcionários e moradores da região, a nordeste de Houston, haviam sido retirados na terça-feira

Estado do complexo químico de Arkema em Crosby
Estado do complexo químico de Arkema em CrosbyGodofredo A. Vasquez (AP)

A água e a falta de energia elétrica criaram uma combinação fatal para as fábricas do setor químico que operam na zona industrial castigada pelo furacão Harvey, agora rebaixado a tempestade tropical. A situação há dias já era crítica na fábrica da francesa Arkema, onde é produzido um composto que, para evitar uma reação em cadeia, precisa ser refrigerado a uma temperatura estável inferior a zero grau Celsius. Na madrugada desta quinta-feira foram registradas as primeiras explosões.

MAIS INFORMAÇÕES

O complexo da multinacional na localidade de Crosby (Texas), a nordeste de Houston, teve que ser desocupado na terça-feira, quando também a população dos arredores foi retirada de suas casas. Os executivos encarregados das operações jogaram definitivamente a toalha na tarde desta quarta, advertindo à população que a explosão aconteceria em questão de horas, no mais tardar em seis dias. O centro de emergências do condado do Harris relatou as duas primeiras explosões às 2h de quinta (0h em Brasília). A fumaça negra podia ser vista à distância.

Tanto a empresa como as autoridades públicas consideraram que o melhor era deixar que o complexo se incendiasse, porque o composto químico ali produzido, o peróxido orgânico, é muito inflamável e causaria um risco ainda maior se fosse retirado de lá. Os geradores auxiliares da fábrica foram insuficientes para manter o agente químico na temperatura ideal, e a área está completamente alagada. Mesmo se a eletricidade fosse restabelecida, já seria tarde.

O produto está armazenado em vários pontos da fábrica, por isso é possível que haja novas explosões. O público foi orientado a se manter distante da região desocupada. O departamento do xerife do condado de Harris informa em sua conta no Twitter que um agente precisou ser hospitalizado após inalar fumaça tóxica, e que outras nove pessoas foram hospitalizadas por precaução.

A área desocupada tem um raio de 2,4 quilômetros ao redor do complexo da Arkema, onde trabalham cerca de 50 pessoas. O agente químico é usado na produção de resinas plásticas, poliéster e pinturas. O canal de Houston e seus arredores concentram 40% da produção petroquímica dos Estados Unidos. As grandes refinarias suspenderam suas operações há vários dias por causa do furacão.

Arquivado Em: