Furacões

Furacão Harvey castiga Houston com inundações sem precedentes

Tempestade deixou pelo menos seis mortos. A água chega aos telhados em algumas áreas e a previsão é que continue durante dias

A cidade de Houston está debaixo d’água. Os diversos canais que cruzam a cidade e seus subúrbios começaram a ceder na noite de sábado, por conta das intensas chuvas provocadas pelo furacão Harvey desde sexta-feira. A imprensa local contabilizava no domingo pela manhã pelo menos seis mortos. Em alguns setores de Houston, a água chegou aos telhados das casas, inundando ruas e bairros inteiros. E a previsão é que a chuva continue nesse ritmo durante dias.

MAIS INFORMAÇÕES

Na manhã de domingo, o Serviço Nacional Meteorológico dos Estados Unidos emitiu um alerta que dizia: “Esse evento não tem precedentes e suas consequências são desconhecidas e vão além de tudo o que já presenciamos”.

As autoridades realizaram 250 resgates de veículos até o momento. O prefeito da cidade, Sylvester Turner, afirmou que as inundações “são catastróficas e colocam em risco a vida dos moradores”. Turner detalhou que desde a noite de sábado receberam mais de 2.000 ligações de emergência.

O pânico se espalhou pela população. Algumas pessoas tentaram escapar em seus carros, mas isso criou problemas maiores, já que os veículos ficam presos na água.

Homem é resgatado de seu carro em Houston, no domingo.
Homem é resgatado de seu carro em Houston, no domingo. (AP)

Vários tornados se formaram nos subúrbios da cidade. No setor de Missouri City, no oeste de Houston, um tornado deixou pelo menos 50 casas destruídas. E a chuva não para. De acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia entre sábado e a manhã de domingo Houston e Galveston receberam 60 centímetros de água.

O chefe da polícia de Houston, Art Acevedo, aconselhou as pessoas que estão nas áreas mais afetadas a subirem em seus telhados. “Não subam nas coberturas a menos que tenham um machado para romper seus telhados para saírem”, disse.

O prefeito de Houston defendeu sua decisão de não evacuar a cidade no domingo pela manhã em uma entrevista coletiva. “Não havia como saber quais bairros seriam os mais afetados. Se eu ordeno uma evacuação em uma situação como essa, seria um pesadelo”, afirmou. Segundo a Cruz Vermelha norte-americana, na noite de sábado mais de 1.800 pessoas estavam em 23 refúgios no interior do Texas e da Luisiana.

Zona de Buffalo Bayou, em Houston, alagada no domingo.
Zona de Buffalo Bayou, em Houston, alagada no domingo.@caroleenarn (REUTERS)

Enquanto isso, nos subúrbios de Houston o condado de Fort Bend é um dos que se encontram em maior risco de inundações catastróficas pelo fato dos rios Brazos e San Bernard cruzarem amplos setores residenciais em seu território.

O juiz do condado Robert Hebert disse que “O corpo de engenheiros do Exército prevê que a elevação da água na represa de Barker chegará a níveis sem precedentes”, detalhou. “Esse nível superaria a inundação do ano passado por vários centímetros. Estamos muito preocupados com o prognóstico adicional de chuvas nessa noite que poderia elevar o nível da represa superior”.

As autoridades locais alertaram aos moradores que quando a água chegar a dois metros de altura áreas como Cinco Ranch e Canyon Gate, localizadas no oeste do condado, serão as mais afetadas.

María José Barros, que vive em Cinco Ranch, contou ao EL PAÍS como está se preparando para uma inundação. “Estamos tentando chegar ao Home Depot para comprar sacos de areia. Desocupamos todo o primeiro andar e colocamos as coisas mais valiosas a um metro acima do solo”. “Subimos comida e água, para subsistir por vários dias no caso da água não nos deixar sair”, explicou.

Barros percorreu os setores próximos a sua casa em que a maioria dos moradores se locomovia a pé para avaliar danos e potencial de inundação nos rios próximos de suas moradias. Algumas pessoas utilizavam até mesmo canoas para locomoção.

O governador do Texas, Greg Abbott, ainda não anunciou novas áreas de evacuação desde a tarde de sábado. Por enquanto, 22 cidades e condados do Texas receberam ordens obrigatórias de evacuação.

O Hobby International, um dos aeroportos de Houston, anunciou que todos os voos foram cancelados “pela quantidade de água nas pistas”, enquanto o George Bush International operava de forma limitada. “Estão ocorrendo inundações repentinas catastróficas, com risco de vida”, afirmou o Serviço Meteorológico Nacional (NWS) no Twitter. “É uma situação extremamente perigosa! Não viaje a menos que indiquem essa possibilidade”.

A situação na grande cidade texana ocorre enquanto o litoral tenta avaliar os danos do furacão. O Harvey tocou a terra na noite de sexta-feira com categoria 4 entre Corpus Christi e Houston e destruiu casas e barcos nos povoados do litoral. Foi o furacão mais forte a chegar aos Estados Unidos desde o Wilma em 2005. Em Port Aransas, uma das primeiras cidades atingidas pelo furacão, existem barcos que voaram e acabaram chocando-se em alguns edifícios. Em Victoria, um povoado ao norte de Rockport, os habitantes ficaram impressionados pela intensidade do furacão. “Se eu soubesse que seria como foi, certamente teria ido antes”, disse à AFP Robby Villa, enquanto outros de seus moradores se preocupavam pelas inundações e cheias dos rios próximos.

Arquivado Em: