_
_
_
_
_

Avianca suspende voos com origem e destino na Venezuela

Depois de 60 anos de serviço, a companhia diz que enfrentou "dificuldades” na operação aérea no país

Avião Boeing 787 da companhia aérea Avianca.
Avião Boeing 787 da companhia aérea Avianca.Divulgação

A companhia aérea Avianca anunciou que suspenderá seus voos de e para a Venezuela. Em um comunicado, a empresa afirmou que depois de uma reunião técnica realizada em Bogotá com as autoridades aeronáuticas, a decisão foi tomada e os diretores do Instituto Nacional de Aviação Civil da Venezuela e da AEROCIVIL, da Colômbia, foram notificados.

A Avianca afirmou que nos últimos meses tem encontrado dificuldades para a operação aérea naquele país, para o qual voa duas vezes por dia na rota Bogotá-Caracas-Bogotá e tem outro voo ligando Lima a Caracas. A venda de passagens está suspensa desde quarta-feira e a partir de 16 de agosto nenhum voo decolará para esse destino.

Mais informações
Avianca denuncia perseguição de um caça venezuelano durante um voo a Caracas
Maduro prende juízes eleitos pela oposição para Supremo paralelo
Maduro anuncia que prenderá “um por um” os 33 magistrados da oposição

Oito companhias aéreas internacionais encerraram suas operações em Caracas. A primeira foi a Air Canada, em 2014. Seguiram-se Alitalia, Lufthansa, Latam, Aeroméxico, Gol, Tiara Air e United Airlines. A Avianca é a nona a deixar o mercado venezuelano, onde tem 54% da operação na rota Bogotá-Caracas e 77% na rota Lima-Caracas.

“Essa medida é baseada na necessidade de adequar vários processos aos padrões internacionais, melhorar a infraestrutura aeroportuária na Venezuela e garantir a consistência nas operações”, afirma a empresa no comunicado de imprensa com o qual se despede, por enquanto, de um serviço de mais de 60 anos.

“Na Avianca lamentamos ter chegado a essa difícil decisão, mas nossa obrigação é garantir a segurança da operação. Como empresa, temos toda a disposição e vontade para retomar os voos quando contarmos com as condições necessárias para fazê-lo”, disse Hernán Rincón, presidente executivo da Avianca, que anunciou que os passageiros com reservas para depois de16 de agosto poderão solicitar o reembolso de 100% do valor das passagens.

Em outubro, a companhia aérea denunciou a perseguição por parte de um avião venezuelano enquanto voava sobre esse país. Embora o incidente não tenha causado qualquer prejuízo para os 248 passageiros, o Ministério da Defesa da Colômbia enviou informações sobre o que aconteceu para a diretoria de soberania do Ministério das Relações Exteriores da Venezuela para obter alguma explicação. O caso não foi esclarecido na época, mas seis meses depois a Avianca cancela sua operação no país vizinho.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_