PF cumpre mandados de prisão contra assessor especial de Temer e ex-governadores do DF

Tadeu Filippelli, Agnelo Queiroz e José Roberto Arruda são suspeitos de superfaturamento de obra

Tadeu Filippelli, assessor especial de Temer (à esq.), os ex-governadores  José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz (à dir.)
Tadeu Filippelli, assessor especial de Temer (à esq.), os ex-governadores José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz (à dir.)Montagem El PAÍS (Agência Brasil)

MAIS INFORMAÇÕES

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira, a Operação Panatenaico, que investiga uma organização criminosa suspeita de fraudar e desviar recursos das obras de reforma do Estádio Nacional Mané Garrincha para Copa do Mundo de 2014. Segundo a Agência Brasil, o ex-vice-governador do Distrito Federal Tadeu Filippelli - que é assessor especial do presidente Michel Temer - e os ex-governadores Agnelo Queiroz e José Roberto Arruda são alvos de mandados de prisão. Arruda chegou à sede da PF por volta das 8h30.

Outros agentes públicos e ex-agentes públicos, construtoras e operadores das propinas ao longo de três gestões do Governo do Distrito Federal também são alvos da operação.

De acordo com informações da Polícia Federal, as obras no estádio foram orçadas em cerca de 600 milhões de reais e, ao fim, custaram 1,575 bilhão de reais. O superfaturamento, portanto, pode ter chegado a quase R$ 900 milhões.

A hipótese investigada pela Polícia Federal é de que agentes públicos, com a intermediação de operadores de propinas, tenham realizado conluios e assim simulado procedimentos previstos em edital de licitação. A renovação do Estádio Mané Garrincha, ao contrário dos demais estádios da Copa do Mundo financiados com dinheiro público, não recebeu empréstimos do BNDES, mas sim da Terracap (Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal), mesmo que a estatal não tivesse esse tipo de operação financeira prevista no rol de suas atividades.

Em razão da obra do Mané Garrincha - a mais cara arena de toda Copa de 2014 - ter sido realizada sem prévios estudos de viabilidade econômica, a Terracap, companhia estatal do DF com 49% de participação da União, encontra-se em estado de iminente insolvência.

Ainda segundo a PF, devem ser cumpridos ao longo do dia 15 mandados de busca de apreensão, 10 mandados de prisão temporária além de três conduções coercitivas, em Brasília e nos arredores da capital. As medidas judiciais foram determinadas pela 10ª Vara da Justiça Federal no DF.

José Roberto Arruda

Arruda tem sua trajetória política marcada por escândalos. Em 2001, quando era senador pelo PSDB, renunciou ao mandato após suspeita de ter violado o painel eletrônico da Casa na votação de cassação do mandato de Luiz Estevão. Em 2010, já governador do DF, foi preso por envolvimento no caso que ficou conhecido como “mensalão do DEM” e teve seu mandato cassado pelo TER do Distrito Federal.

Em 2014, o ex-governador então filiado ao PR, tentou se candidatar novamente ao cargo e foi barrado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base na Lei da Ficha Limpa.

Panatenaico

O nome da operação é uma referência ao Stadium Panatenaico, sede dos jogos panatenaicos, competições realizadas na Grécia Antiga que foram anteriores aos jogos olímpicos. A história dessa arena utilizada para a prática de esportes pelos helênicos, tida como uma das mais antigas do mundo, remonta à época clássica, quando estádio ainda tinha assentos de madeira.

Arquivado Em: