Tiroteio em Zurique

Três muçulmanos são feridos por homem armado em mesquita de Zurique, na Suíça

Autor do ataque, um suíço de 24 anos, foi encontrado morto e polícia encerra investigação

Vários policiais monitoram a entrada da mesquita atacada em Zurique.
Vários policiais monitoram a entrada da mesquita atacada em Zurique.ENNIO LEANZA (EFE)

Três fiéis muçulmanos foram feridos por um homem armado que irrompeu, nesta segunda-feira, em uma mesquita de Zurique, na Suíça, durante uma cerimônia religiosa, segundo informou a polícia. O tiroteio começou por volta das 17h30 (14h30 em Brasília), no centro religioso localizado no número 6 da rua Eisgasse, perto da estação central da capital financeira suíça. Naquele momento, cerca de 12 pessoas se encontravam no local, a maioria de nacionalidade marroquina, somali e eritreia. Os feridos foram localizados na rua, fora do centro de orações. O autor dos disparos era um suíço de 24 anos de origem ganesa suspeito de ter matado um amigo no dia anterior e deixado vestígios de DNA na vítima, o que permitiu sua identificação. Ele foi encontrado morto nesta terça-feira, e as autoridades suíças encerraram a investigação, segundo informou a polícia local em uma mensagem no Twitter.

MAIS INFORMAÇÕES

O autor do ataque se suicidou poucas horas depois do tiroteio na mesquita, frequentada sobretudo por somalis, magrebinos e eritreus, informou em coletiva a responsável pela Polícia Criminal do cantão de Zurique, Christine Lentjes Meili. O corpo foi encontrado por um pedestre perto da estação central da cidade, na margem do rio Sihl. 

O jornal em alemão Tagesanzeiger e a agência suíça SDA afirmam que provavelmente se trate de um homem encontrado morto em uma ponte no centro da cidade, a cerca de 300 metros do centro islâmico, com uma arma ao seu lado, na tarde da segunda-feira.

“O atirador disparou várias vezes contra os fiéis”, explicou a polícia, que detalhou que os feridos são três homens de 30, 35 e 56 anos, e que dois deles estão em estado muito grave. “O suspeito escapou em direção à estação central”, acrescentaram os agentes. Várias testemunhas indicam que o agressor era um homem de cerca de 30 anos, vestido de preto e com o rosto coberto por um capuz. “Ele entrou no meio da pregação e começou a disparar”, contou um fiel em estado de choque. Após realizar o ataque, o suspeito fugiu a pé.

A descoberta de um corpo a 300 metros da mesquita deu início às suspeitas, mas por enquanto a polícia suíça não estabeleceu uma relação direta entre os dois incidentes e se recusou a fazer declarações a respeito. O corpo estava sob a Gessnerbrücke, uma das pontes que atravessam o rio Sihl, a poucos metros da estação central de Zurique. Às 19h30 (16h30 em Brasília), um imponente aparato de segurança, que incluía cães, tomou o controle do bairro.

Inicialmente, os agentes não vinculavam o autor dos disparos com o assassinato de domingo, quando ele supostamente matou um amigo de origem sul-americana e deixou o cadáver em um parque infantil. A polícia só pôde estabelecer laços entre ambos, por amostras de DNA, quando o corpo sem vida do atirador foi achado perto do centro religioso. As autoridades não têm indícios de que ele estivesse em tratamento psicológico ou psiquiátrico, mas "essa seria uma possibilidade" a julgar pelos incidentes, admitiu Meili. Na sexta passada, antes de cometer os dois crimes, o sujeito havia deixado seu trabalho em uma loja.

Arquivado Em: