Copa Libertadores

Assim serão jogadas as quartas de final da Copa Libertadores

Torneio será suspenso por um mês, assim que saírem os semifinalistas, devido à Copa América Centenário. Voltará em julho para a decisão do vencedor

Tevez (esq.), do Boca Juniors, festeja gol contra o Cerro Porteño.
Tevez (esq.), do Boca Juniors, festeja gol contra o Cerro Porteño.Juan Ignacio Roncoroni (EFE)

MAIS INFORMAÇÕES

A Confederação Sul-americana de Futebol divulgou as datas e horários das séries das quartas de final da Copa Libertadores. As partidas serão jogadas ao longo de três semanas, de 11 a 24 de maio. O único jogo que não acontecerá na próxima semana será o dos Pumas de la UNAM, devido a um acordo entre as autoridades sul-americanas e a Federação Mexicana de Futebol, que solicitou que os jogos das equipes da Liga MX que chegarem às semifinais sejam atrasados em uma semana para que as finais do torneio local não se sobreponham às da Copa.

Atlético Mineiro x São Paulo

Depois de qualificar-se com dificuldade na fase de grupos, o São Paulo goleou o Toluca nas oitavas de final, dando uma amostra do nível que pode ser alcançado nas etapas de definição. Seu diretor técnico, Edgardo Bauza, é um especialista na Libertadores. É o único estrategista que ganhou duas copas com duas equipes diferentes que nunca tinham ganhado antes (Liga de Quito e San Lorenzo). Os paulistas, campeões em três ocasiões, contrataram o argentino para se consagrar como o conjunto brasileiro mais vencedor do certame. O Atlético Mineiro, que teve uma sólida primeira fase, eliminou com muita dificuldade o Racing da Argentina. O veterano Robinho e o argentino Lucas Pratto destacam-se no ataque do Galo.

Boca Juniors x Nacional (Uruguai)

Os xeneixes, como o Boca é conhecido na Argentina, ganharam a Libertadores 6 vezes, 4 delas nos últimos 16 anos. Uma equipe histórica da competição que conta entre suas fileiras com Carlos Tévez, que tenta levantar a Copa como em 2003. Avançaram com tranquilidade em seu grupo e eliminaram o Cerro Porteño nas oitavas sem mostrar um grande nível de jogo, mas sim contundência. Os uruguaios do Nacional vêm de eliminar como visitante um dos grandes candidatos, o Corinthians. Aspiram levantar o troféu máximo da América pela primeira vez desde 1988 e pela quarta vez na história.

Atlético Nacional de Medellín x Rosario Central

O melhor time da fase de grupos enfrenta a equipe que teve melhor desempenho futebolístico no último ano na Argentina. Sem dúvida, é a série que mais gera expectativas nas quartas de final. Os colombianos se impuseram com muitas dúvidas a um Huracán que deu briga, apesar da fraca atuação na partida de volta do árbitro venezuelano José Argote. O Rosario Central, que goleou o Grêmio e não recebeu nenhum gol na série, tenta igualar a melhor atuação do clube na Libertadores, que chegou às semifinais em 1975 e em 2001.

Pumas x Independiente del Valle

A única série jogada em semanas diferentes (17 e 24 de maio). As duas equipes conseguiram sua melhor participação no certame. A equipe equatoriana eliminou de forma inesperada o atual campeão da Copa América, River Plate, da Argentina, e costuma ser um rival exigente em casa, onde aproveitam a altura (seu estádio está a mais de 3000 metros acima do nível do mar) para superar seus rivais. Os mexicanos eliminaram o Deportivo Táchira nas oitavas depois de passar por uma fase de grupos com cinco vitórias e uma derrota. Mas, antes de pensar na Copa, os universitários tentarão se classificar nas finais do torneio mexicano na última data da temporada regular.

Uma vez concluídas as chaves das quartas de final, e sendo conhecidos os classificados nas semifinais, o torneio mais importante de clubes do continente americano terá de ser suspenso por um mês. Em junho, será jogada nos Estados Unidos a Copa América Centenário, uma edição especial que reúne pela primeira vez as seleções nacionais de ambas as confederações no continente, tanto da Concacaf como da Conmebol.

Será em julho, onde os classificados poderão incorporar até três reforços. A Libertadores então voltará a se reunir para as semifinais da competição. Os ganhadores jogarão a visita recíproca para definir o ganhador em um formato que talvez vejamos pela última vez na história da competição. A Conmebol sondou as federações sul-americanas para modificar a estrutura da Copa e torná-la mais parecida à Champions League, com um sistema de classificação parecido ao atual e uma mudança na final: se definiria em um único jogo em campo neutro, com uma sede que mudaria todo ano.

Arquivado Em: