Seleccione Edição
Login

A morte de Bin Laden contada em tuítes

CIA simula no Twitter uma narração em tempo real da operação de 2011 e causa polêmica

Vídeo divulgado pelos EUA em 2011.

No quinto aniversário da operação que culminou com a morte do chefe da Al Qaeda, Osama bin Laden, a CIA (agência de inteligência norte-americana) simulou em sua conta do Twitter uma narração em tempo real da atuação de suas forças especiais (SEALs) contra o terrorista saudita na chamada Operação Lança de Netuno, ocorrida em maio de 2011 no Paquistão. Em algum dos tuítes o presidente Barack Obama é mencionado pelo nome que usa nessa rede social, @POTUS (abreviação em inglês de “presidente dos Estados Unidos”). Segundo o relato, os SEALs levaram 40 minutos para concluir a operação depois de pousarem em Abottabad. O comando confirmou preliminarmente a Washington que a vítima era Bin Laden 14 minutos depois de ele ser morto por um dos integrantes da operação.

Sob o hashtag #UBLRaid, a agência de inteligência norte-americana redigiu uma dúzia de tuítes narrando a operação. “Para marcar o quinto aniversário da operação contra Osama bin Laden em Abottabad, tuitaremos a operação como se ela estivesse acontecendo hoje #UBLRaid”, diz a CIA na primeira mensagem antes de iniciar a cronologia do ataque.

A CIA relata que Obama, Leon Panetta (então diretor da CIA) e William McRaven (chefe de operações especiais, ainda no cargo) aprovaram a operação às 13h25 daquele 1º. de maio (horário de Washington; 14h25 em Brasília).

Às 13h51 – nem meia hora depois, portanto – os helicópteros partiram do Afeganistão rumo a Abottabad, no Paquistão. Às 15h30 (0h30 do dia 2, pelo horário paquistanês), dois helicópteros chegam ao destino. Um deles colide, mas a invasão continua, sem atrasos nem feridos.

Os tuítes incluem a já famosa imagem de Obama na Casa Branca, na companhia de outros altos funcionários do Governo, acompanhando a operação.

Da aterrissagem dos helicópteros junto à residência de Bin Laden até que ele seja encontrado e morto não transcorrem nem 10 minutos, segundo esse relato. Às 15h39: “Osama Bin Laden é achado no terceiro andar e abatido”.

Após 14 minutos, os SEALs enviam a primeira confirmação “preliminar” de que o homem abatido era o dirigente máximo da rede Al Qaeda. Segundo detalhes divulgados após a operação, os dois primeiros exames que os SEALs realizaram envolviam o reconhecimento físico. Como não tinham fita métrica, mas sabiam que Bin Laden media 1,93 metro, um dos militares participantes, com estatura semelhante, se deitou ao lado do cadáver para ser comparado. Os SEALs também tiraram fotos e as enviaram para especialistas em identificação facial.

Pouco mais de meia hora após a aterrissagem, a retirada teve início. Primeiro parte o helicóptero que pousara sem problemas. Os SEALs destroem o que se acidentou e aguardam a chegada do aparelho de apoio, que às 15h40 retira os últimos militares de Abottabad e regressa ao Afeganistão. Só às 19h01, segundo a CIA, Obama recebe a confirmação definitiva de que o alvo atingido “com alta probabilidade” era Bin Laden.

O relato da agência de inteligência foi criticado nas redes sociais por alguns usuários que o consideraram “de mau gosto”.

MAIS INFORMAÇÕES