_
_
_
_

Bill Gates incentiva Apple a colaborar com o FBI em casos de terrorismo

É o único líder do mundo tecnológico que critica a negativa de acesso ao iPhone do assassino

Bill Gates na segunda-feira durante entrevista em Nova York.
Bill Gates na segunda-feira durante entrevista em Nova York.SHANNON STAPLETON (REUTERS)
Mais informações
Apple nega ao FBI acesso ao Iphone do atirador de San Bernardino
Apple apoia que comissão estude limites para criptografia

Bill Gates posicionou-se a favor do FBI na petição à Apple para desbloquear e conceder acesso ao iPhone usado por um dos dois autores do tiroteio de dezembro em San Bernardino (Califórnia), no qual morreram 14 pessoas. O empresário disse que "as empresas de tecnologia devem ser forçadas a cooperar com as autoridades nas investigações sobre terrorismo", informa o Financial Times.

O fundador de Microsoft se mostrou em desacordo com Tim Cook, o CEO de Apple, que se negou a modificar o sistema operacional de seus telefones e tablets para que as autoridades possam ter acesso aos dados do iPhone 5, o modelo que usava o assassino. E sublinhou que não se tratava de uma "porta traseira" — em inglês se chamam backdoor certos atalhos nos programas para poder acessar dados.

"Trata-se de um caso particular em que o Governo está pedindo acesso a um terminal. Não é algo geral", disse Gates, que continua: "Não é muito diferente de um caso em que alguém peça à companhia de telefone ajuda porque ninguém é capaz de chegar aos registros bancários. Digamos que o banco tenha atado uma fita ao redor da unidade de disco e diz 'não me faça cortar essa fita porque me fará cortá-la muitas vezes". 

A postura de Gates o distingue do resto da indústria da tecnologia, incluindo a companhia que fundou. Satya Nadella, chefe de Microsoft, não fez comentário públicos sobre o assunto, mas um porta-voz da multinacional com sede em Seattle assinalou em um comunicado da organização Reform Government Surveillance, da que é membro, que se opunha à ordem do FBI

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_