Pandemia de coronavírus

Reino Unido detecta pelo menos dois casos da variante sul-africana do coronavírus

Ministro da Saúde, Matt Hancock, afirma uma rapidez ainda maior de transmissão do que a nova cepa do sul da Inglaterra. O Governo amplia as restrições sociais no país

Um grupo de pessoas caminha por uma rua de Londres em que um painel alerta sobre o alto risco de contágio na cidade.
Um grupo de pessoas caminha por uma rua de Londres em que um painel alerta sobre o alto risco de contágio na cidade.TOLGA AKMEN / AFP

O Reino Unido anunciou na quarta-feira que foram detectados pelo menos dois casos em seu território da nova variante do vírus procedente da África do Sul. “É muito preocupante, porque sua transmissibilidade é ainda maior, e mutou mais rapidamente do que a cepa recém-descoberta no Reino Unido”, disse o ministro britânico da Saúde, Matt Hancock. O Governo de Boris Johnson ordenou o cancelamento dos voos vindos do país africano, e mantém sob isolamento todas as pessoas que tiveram contato com os dois casos detectados. A doutora Susan Hopkins, médica-chefe do Public Health England (o órgão gestor da saúde pública na Inglaterra), afirmou que as duas novas variantes “têm muito mais capacidade de transmissão”, mas admite que ainda não estudaram detalhadamente a cepa originária da África do Sul.

Mais informações

Aviso aos leitores: o EL PAÍS mantém abertas as informações essenciais sobre o coronavírus durante a crise. Se você quer apoiar nosso jornalismo, clique aqui para assinar.

“Tanto a variante do Reino Unido como a sul-africana mostram mudanças genéticas no peplômero (a proteína que envolve o vírus, assim chamada por seu perfil proeminente, fundamental para a aderência à célula humana) que sugerem que são mais infecciosas. Mas as normas padrão para evitar o contágio (limpeza das mãos, uso de máscara e distância social) devem bastar para deter a transmissão”, afirmou Lawrence Young, professor de Oncologia Molecular da Escola Médica de Warwick, ao site de divulgação científica SMC.

O coronavírus, dizem os cientistas, está mudando constantemente. O Reino Unido é o país com maior capacidade para realizar sequências de genomas, e essa seria a razão pela qual detectam com maior rapidez novas variantes que já podem estar em outros países ainda sem ter sido detectadas.

O Governo britânico anunciou um aumento das restrições sociais em novas áreas do país a partir de 26 de dezembro. Seis milhões de pessoas se somarão aos outros dezoito que já estão sob Nível 4, de alerta máximo. Junto ao fechamento total de comércios e hotelaria, as reuniões se limitam a duas pessoas em ambientes exteriores.

Nas últimas 24 horas foi registrado um novo número recorde de infectados no Reino Unido. 39.237 pessoas em um só dia, mais do que o dobro da média diária de 18.000 registrada na semana anterior. O número total de falecidos pela covid-19 no país já é de 69.051.

Siga a cobertura em tempo real da crise da covid-19 e acompanhe a evolução da pandemia no Brasil. Assine nossa newsletter diária para receber as últimas notícias e análises no e-mail.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50