Vacina chega após arrogância e erros homéricos de uma diplomacia brasileira limitada

Brasil deixou de aderir inicialmente a uma coalizão global pelas vacinas em abril, que daria prioridade aos brasileiros com vacinas. Optou por uma política que minava a confiança na Coronavac e investiu num pacote negacionista que explica o colapso de Manaus e a dor de milhares de famílias

Uma trabalhadora do Instituto Butantan com a Coronavac, em 15 de janeiro de 2021.
Uma trabalhadora do Instituto Butantan com a Coronavac, em 15 de janeiro de 2021.Fernando Bizerra Jr / EFE

Aviso aos leitores: o EL PAÍS mantém abertas as informações essenciais sobre o coronavírus durante a crise. Se você quer apoiar nosso jornalismo, clique aqui para assinar....

Mais informações