Donald Trump

Merkel acha “problemática” a suspensão das contas de Trump nas redes sociais

Porta-voz do Governo diz que “o correto” seria que o Estado estabelecesse “um marco” para regulamentar seu uso

Angela Merkel e o porta-voz do Governo alemão, Steffen Seibert, após uma entrevista coletiva em Berlim, em novembro.
Angela Merkel e o porta-voz do Governo alemão, Steffen Seibert, após uma entrevista coletiva em Berlim, em novembro.KAY NIETFELD / AFP

A chanceler alemã, Angela Merkel, que na quinta-feira criticou abertamente Donald Trump por incentivar seus seguidores a atacar o Capitólio, considera que a suspensão das contas nas redes sociais do presidente norte-americano é “problemática”.

Na segunda-feira, durante uma entrevista coletiva de rotina realizada em Berlim, o porta-voz da chanceler, Steffen Seibert, se referiu ao banimento do Twitter ao mandatário norte-americano dizendo que “o correto” seria que o Estado, e particularmente o Parlamento, estabelecessem “um marco” para regulamentar o uso das redes sociais. Os operadores dessas empresas, acrescentou, “têm a grande responsabilidade de garantir que a comunicação política não seja envenenada pelo ódio, a mentira e a incitação à violência”, afirmou.

Mais informações

Mas, frisou o porta-voz, o direito à liberdade de opinião é fundamental. “As intervenções, portanto, só podem ocorrer de acordo com a lei e no marco definido pelo legislador, e não segundo a decisão da direção das plataformas de redes sociais”, disse Seibert. “Por isso, a chanceler Angela Merkel considera problemático que as contas do presidente dos Estados Unidos tenham sido permanentemente bloqueadas”.

O Twitter, que baniu Trump na sexta-feira pelo “risco de maior incitação à violência” pela invasão do Congresso, foi o canal preferido de comunicação do presidente dos Estados Unidos para anunciar suas decisões mais importantes e insultar seus rivais, através da hoje bloqueada permanentemente conta @realDonaldTrump. Em um memorando que circulou entre os jornalistas da Casa Branca, Trump acusou o Twitter na sexta-feira à noite de conspirar com os democratas para silenciá-lo e a seus partidários. A Casa Branca, através da conta oficial do Governo, atacou a decisão por considerar que limita a liberdade de expressão consagrada pela Primeira Emenda. As ações da empresa dirigida por Jack Dorsey caíram 3% após o anúncio.

Na quinta-feira, a chanceler culpou Trump pelos violentos incidentes do dia anterior no Capitólio. Em uma reunião virtual com a União Social Cristã (CSU), o pequeno partido bávaro aliado do partido de Merkel, o conservador União Democrata Cristã (CDU) a chanceler lamentou as “perturbadoras” imagens do ataque ao Capitólio, disse se sentir “enojada e triste” e culpou o presidente Trump de contribuir para criar uma atmosfera propícia para esse tipo de incidente. “O presidente Trump lamentavelmente não reconhece sua derrota desde novembro, assim como ontem, e isso naturalmente gerou uma atmosfera que possibilita incidentes violentos”.

Mais informações

O mais visto em ...

Top 50