_
_
_
_

Merkel acha “problemática” a suspensão das contas de Trump nas redes sociais

Porta-voz do Governo diz que “o correto” seria que o Estado estabelecesse “um marco” para regulamentar seu uso

Angela Merkel e o porta-voz do Governo alemão, Steffen Seibert, após uma entrevista coletiva em Berlim, em novembro.
Angela Merkel e o porta-voz do Governo alemão, Steffen Seibert, após uma entrevista coletiva em Berlim, em novembro.KAY NIETFELD (AFP)

A chanceler alemã, Angela Merkel, que na quinta-feira criticou abertamente Donald Trump por incentivar seus seguidores a atacar o Capitólio, considera que a suspensão das contas nas redes sociais do presidente norte-americano é “problemática”.

Na segunda-feira, durante uma entrevista coletiva de rotina realizada em Berlim, o porta-voz da chanceler, Steffen Seibert, se referiu ao banimento do Twitter ao mandatário norte-americano dizendo que “o correto” seria que o Estado, e particularmente o Parlamento, estabelecessem “um marco” para regulamentar o uso das redes sociais. Os operadores dessas empresas, acrescentou, “têm a grande responsabilidade de garantir que a comunicação política não seja envenenada pelo ódio, a mentira e a incitação à violência”, afirmou.

Mais informações
A demonstrator holds a sign reading "Impeach" outside the U.S. Capitol days after supporters of U.S. President Donald Trump stormed the Capitol in Washington, U.S. January 11, 2021. REUTERS/Erin Scott
Democratas acusam Trump de “incitar a insurreição” nos EUA e apresentam pedido de impeachment
(FILES) In this file photo taken on March 17, 2020 US Secretary of State Mike Pompeo speaks at a press conference at the State Department in Washington DC. - US Secretary of State Mike Pompeo said January 11, 2021 he was placing Cuba back on a blacklist of state sponsors of terrorism, a last-minute roadblock to efforts by President-elect Joe Biden's to ease tensions. (Photo by NICHOLAS KAMM / AFP)
Administração Trump designa Cuba como um Estado patrocinador do terrorismo
(FILES) In this file photo taken on August 18, 2020 US President Donald Trump delivers remarks on immigration and border security to members of the border patrol as Acting secretary of Homeland Security, Chad Wolf (L) looks on at the international airport in Yuma, Arizona. - Acting US Homeland Security Secretary Chad Wolf resigns effective 11:59 pm January 11, 2021, said in a statement. Pete Gaynor, who ran the Federal Emergency Management Agency, would become the acting homeland security secretary. (Photo by Brendan Smialowski / AFP)
Secretário interino de Segurança Nacional de Trump renuncia

Mas, frisou o porta-voz, o direito à liberdade de opinião é fundamental. “As intervenções, portanto, só podem ocorrer de acordo com a lei e no marco definido pelo legislador, e não segundo a decisão da direção das plataformas de redes sociais”, disse Seibert. “Por isso, a chanceler Angela Merkel considera problemático que as contas do presidente dos Estados Unidos tenham sido permanentemente bloqueadas”.

O Twitter, que baniu Trump na sexta-feira pelo “risco de maior incitação à violência” pela invasão do Congresso, foi o canal preferido de comunicação do presidente dos Estados Unidos para anunciar suas decisões mais importantes e insultar seus rivais, através da hoje bloqueada permanentemente conta @realDonaldTrump. Em um memorando que circulou entre os jornalistas da Casa Branca, Trump acusou o Twitter na sexta-feira à noite de conspirar com os democratas para silenciá-lo e a seus partidários. A Casa Branca, através da conta oficial do Governo, atacou a decisão por considerar que limita a liberdade de expressão consagrada pela Primeira Emenda. As ações da empresa dirigida por Jack Dorsey caíram 3% após o anúncio.

Na quinta-feira, a chanceler culpou Trump pelos violentos incidentes do dia anterior no Capitólio. Em uma reunião virtual com a União Social Cristã (CSU), o pequeno partido bávaro aliado do partido de Merkel, o conservador União Democrata Cristã (CDU) a chanceler lamentou as “perturbadoras” imagens do ataque ao Capitólio, disse se sentir “enojada e triste” e culpou o presidente Trump de contribuir para criar uma atmosfera propícia para esse tipo de incidente. “O presidente Trump lamentavelmente não reconhece sua derrota desde novembro, assim como ontem, e isso naturalmente gerou uma atmosfera que possibilita incidentes violentos”.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_