Administração Trump designa Cuba como um Estado patrocinador do terrorismo

A inclusão do país na lista, que complica a agenda diplomática do próximo Governo Biden, levará à imposição de “sanções a pessoas e países” que comercializem com a ilha

Mike Pompeo, em março numa entrevista coletiva no Departamento de Estado, em Washington DC.
Mike Pompeo, em março numa entrevista coletiva no Departamento de Estado, em Washington DC.NICHOLAS KAMM / AFP

Os Estados Unidos designaram Cuba como “Estado patrocinador do terrorismo”, conforme anunciou o Departamento de Estado em comunicado na segunda-feira. A decisão se deve, segundo o secretário de Estado Mike Pompeo, ao fato de que Havana “repetidamente apóia atos de terrorismo internacional garantindo um porto seguro para terroristas”.

“Com esta ação, voltaremos a responsabilizar o Governo de Cuba e enviaremos uma mensagem clara: o regime de Castro deve acabar com seu apoio ao terrorismo internacional e à subversão da justiça dos Estados Unidos”, acrescentou Pompeo.

A decisão, diz o comunicado, levará à imposição de “sanções a pessoas e países que realizem certas atividades comerciais com Cuba”. O retorno do país à lista de Estados patrocinadores do terrorismo, da qual saiu em 2015 e que inclui países como Síria, Irã e Coreia do Norte, representa a reversão dos esforços do governo do democrata Barack Obama para reconstruir o laços com a ilha, um inimigo histórico da Guerra Fria. E complica o campo de manobra para uma possível aproximação da diplomacia do Governo Joe Biden, que foi vice-presidente de Obama e que assumirá no próximo dia 20.

Esta é a última de uma série de medidas adotadas pelo Departamento de Estado na reta final do mandato do presidente Trump com o objetivo de proteger algumas de suas políticas antes da troca no comando da Casa Branca.

Mais informações

O mais visto em ...

Top 50