Polícia sul-coreana encontra o prefeito de Seul morto depois de ter sido dado como desaparecido

A família de Park Won-soon, 64 anos, avisou às autoridades que ele saiu de casa após dizer palavras que soavam como um "testamento”

Park Won-soon, prefeito de Seusl, fala em uma conferência na capital sul-coreana na quarta-feira.
Park Won-soon, prefeito de Seusl, fala em uma conferência na capital sul-coreana na quarta-feira.Cheon Jin-hwan (AP)
Mais informações
Bucheon (Korea, Republic Of), 28/05/2020.- People wait in line to be tested for coronavirus at an outdoor clinic in Bucheon, South Korea, 28 May 2020. A new cluster infection broke out at a logistics center belonging to Coupang, a leading e-commerce company, in the city. Earlier in the day, the Korean Centers for Disease Control and Prevention confirmed 79 new cases of infection with the SARS-CoV-2 coronavirus that causes the pandemic COVID-19 disease nationwide, including 69 linked to the Coupang center. (Corea del Sur) EFE/EPA/YONHAP SOUTH KOREA OUT
Coreia do Sul volta a impor medidas de distanciamento social ante novo surto de coronavírus
Incheon (Korea, Republic Of), 27/03/2020.- Medical workers wearing protective gear take samples from a foreign visitor at an 'Open Walking-Thru' centre for coronavirus COVID-19 tests at the airport in Incheon, South Korea, 27 March 2020. South Korea has reported over 9,000 ca?ses of coronavirus, the infection that causes the COVID-19 disease. (Abierto, Corea del Sur) EFE/EPA/KIM CHUL-SOO
As lições contra o coronavírus que Coreia do Sul e China podem dar ao mundo, incluindo o Brasil

A polícia sul-coreana informou nesta quinta-feira que encontrou o corpo de Park Won-soon, prefeito de Seul, graças a um mecanismo de busca que foi ativado depois que sua família informou seu desaparecimento. O corpo foi encontrado no distrito norte de Seongbuk-dong, onde foi localizado o último sinal de seu celular. A Polícia Metropolitana havia enviado agentes com patrulhas caninas e drones para a área para procurar o líder popular da capital.

Park Da-hee, filha do prefeito, apresentou a denúncia à polícia na tarde desta quinta-feira. Nela, afirmou que o pai “deixou a casa havia quatro ou cinco horas depois de dizer palavras que soavam como um testamento” e que “seu telefone estava desligado”, de acordo com a agência de notícias Yonhap. A Câmara Municipal foi forçada a cancelar todos os atos oficiais do prefeito planejados para esta quinta-feira devido a “circunstâncias inevitáveis”.

Park, 64 anos ―nascido em 1956 em Changyeong, na província de Gyeongsang do Sul (no sudeste da Coreia)―, era prefeito de Seul desde 2011. Ele estava cumprindo seu terceiro mandato consecutivo (seu primeiro foi como candidato independente, antes de se juntar ao agora governante Partido Liberal Democrático, em 2012). Como ex-ativista pró-democracia e dos direitos humanos, ele era considerado uma figura única no cenário político sul-coreano.

Em maio, o prefeito ordenou o fechamento de todos os bares e clubes da cidade, em resposta ao surgimento de um novo surto de coronavírus em Itaewon, um dos bairros noturnos mais movimentados de Seul. A popularidade de Park Won-soon o levou a ser visto como um candidato potencial para a presidência, e uma promessa para os liberais no período que antecede as eleições de 2022.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS