Britney Spears interrompe sua carreira: “Não farei shows com meu pai impondo o que visto, digo, faço e penso”

Cantora publicou uma longa declaração em seu perfil do Instagram onde afirma: “Minha suposta rede de apoio me machucou profundamente. Esta tutela matou meus sonhos”

Cartazes de apoia a Britney Spears em, em 14 de julho de 2021
Cartazes de apoia a Britney Spears em, em 14 de julho de 2021Jose Luis Magana (AP)
Mais informações

Nas últimas semanas, a forma de se comunicar com o mundo de Britney Spears deu uma guinada radical. A artista passou do silêncio, de não falar de sua vida e de sua situação judicial, com um calculado e absoluto hermetismo, a lançar pouco a pouco mensagens discretas no Instagram. Na rede social passou de primeiro compartilhar alguns pensamentos e sensações a, atualmente, falar abertamente de sua situação pessoal. Foi isso o que fez na noite de sábado, quando lançou uma mensagem clara e direta através de seu perfil, com quase 32 milhões de seguidores: a tutela que seu pai exerce sobre ela, anuncia, a obriga a interromper sua carreira artística.

Junto a uma fotografia em que se lia a frase “Aceite como eu sou ou vá se ferrar”, publicou uma longuíssima declaração em que deixou clara sua irritação. Tudo começou porque a cantora, ao que parece, recebeu críticas por alguns de seus vídeos em suas redes sociais em que aparece dançando. Começa seu texto dizendo: “Para aqueles que criticam meus vídeos dançando... vejam, não farei shows em palco algum por enquanto com meu pai impondo o que visto, digo, faço e penso”. Uma decisão alinhada ao que seu ex-empresário afirmou dias atrás: que Spears iria interromper sua carreira. Até agora a artista havia feito referências à tutela legal de seu progenitor, mas não declarando-se contrariamente de uma maneira tão clara. A publicação teve 200.000 likes nos primeiros 20 minutos.

“Fiz isso durante os últimos 13 anos”, continuou, “e prefiro publicar vídeos da minha sala, sim, do que estar em um palco em Las Vegas onde algumas pessoas chegaram até a deixar de me cumprimentar e onde acabei conhecendo alguém que estava constantemente chapado de maconha... o que não me importa, mas seria bom ter ido a uma porra de spa”, afirma, sem hesitar em usar a palavra “fucking”, um insulto muito mal visto nos Estados Unidos e que não costuma ser escrito completo (se usa a letra efe inicial sozinha e com isso já se entende). “E não vou me encher de maquilagem e ensaiar, ensaiar, ensaiar e não poder fazê-lo de modo autêntico, com misturas antigas de minhas músicas, e implorar que coloquem minha música nova em meu espetáculo para meus fãs... então paro por aqui!!”, escreve com firmeza.

As críticas de Spears continuam em seu texto e se dirigem claramente a sua irmã mais nova, Jamie Lynn Spears. “Não gosto que minha irmã apareça em uma entrega de prêmios e cante MINHAS MÚSICAS remixadas”, escreve em letras maiúsculas. “Minha suposta rede de apoio me machucou profundamente! Esta tutela matou meus sonhos... então tudo o que eu tenho é esperança, e a esperança é a única coisa no mundo que é difícil de matar... mas as pessoas continuam tentando!”.

Também faz referência ao documentário que o jornal The New York Times lançou em fevereiro em que questionava sua tutela legal e o comportamento de seu pai desde sua juventude, quando começou seu estrelato. “Não gostei da maneira como os documentários recuperaram momentos humilhantes do passado. Eu já havia superado isso, há muito tempo”, afirma.

“E às mulheres que dizem que é estranho o modo como tenho esperança... dane-se! Como digo, tudo o que tenho agora é esperança. Vocês têm sorte de que eu publique algo, se não gostam, deixem de me seguir!”, critica. “As pessoas tentam matar a esperança porque é uma das coisas mais vulneráveis e frágeis que existem. E agora vou ler a porra de um conto de fadas. Ahhh, e se não querem ver minha linda bunda dançando na sala e se não está nos seus padrões... vão ler a porcaria de um livro!”.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

A mensagem chega após outra no dia anterior com uma fotografia em que se lia a frase: “Nunca ignore quem te ignorou quando você precisava e quem te ajudou quando você sequer precisou pedir”. Com ela escreveu um longo texto onde dizia que “não há nada pior do que quando as pessoas mais próximas a você que nunca mostraram seu apoio publicam coisas sobre sua situação e falam em seu apoio... nada pior do que isso”. “Como as pessoas que você mais ama se atrevem a dizer algo, quando jamais estenderam a mão?”, afirmou, e criticou pessoas muito próximas que “para salvar a cara publicamente” a apoiaram publicamente agora quando jamais o fizeram pessoalmente. Uma mensagem que, ao ser publicada poucas horas depois, parecia dirigida a sua irmã Jamie Lynn, que horas antes escreveu em suas redes: “Meu Deus, podemos acabar com essa merda de uma vez por todas? Amém”.

A tutela legal de Britney Spears depende da administradora Jodi Montgomery e também de seu pai, Jamie Spears. Em junho a própria cantora solicitou em uma audiência com a juíza Brenda Penny que essa tutela, que já se prolonga por 13 anos, acabasse. “Excelência, meu pai e todos os envolvidos nessa custódia, incluindo meu agente, que teve um papel fundamental em meu castigo... deveriam estar na prisão”. Ao longo dos últimos dias, ainda que o pai mantenha o controle das finanças da artista, ocorreram mudanças em sua situação legal. Pediram demissão seu empresário, seu advogado e um dos fundos que controlavam sua tutela. E, por fim, a cantora conseguiu uma pequena vitória: escolher seu próprio advogado após mais de uma década.

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Faça seu login para seguir lendo

Saiba que já pode ler este artigo, é grátis

Obrigado por ler o EL PAÍS

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: