Britney Spears perde mais uma batalha na justiça, que decide que seu pai manterá o controle de seu dinheiro

Jamie Spears, que por enquanto continuará como tutor da filha, pede uma investigação sobre as queixas da cantora a respeito de “trabalhos forçados” e “cuidado médico inadequado”

Jamie Spears e sua filha, Britney Spears.
Jamie Spears e sua filha, Britney Spears.AP

Jamie Spears, pai e tutor legal de Britney Spears, pediu aos tribunais de Los Angeles (Estados Unidos) que investiguem as denúncias feitas pela artista em seu depoimento na semana passada perante o juiz. Spears entregou à Justiça, na terça-feira à noite, documentos nos quais assegura que não teve poder sobre a filha nos últimos anos e solicita que investiguem suas “sérias alegações sobre trabalhos forçados, terapia médica forçada, cuidado médico inadequado e privação de direitos pessoais”, muitas dessas acusações feitas contra ele próprio.

Além disso, a audiência do dia 23 de junho ainda não foi resolvida, mas por enquanto a cantora já recebeu um golpe legal. O juiz de Los Angeles negou-lhe, por enquanto, a recuperação da custódia legal e que seu pai deixe de ser seu tutor. No entanto, essa decisão refere-se ao pedido feito por Britney Spears em novembro de 2020, ou seja, não ao de apenas uma semana atrás, onde ela lançou sérias acusações contra todos os que realizam sua tutela. Nessa audiência, há sete meses, a artista exigiu que um fundo chamado Bessemer Trust fosse o único responsável por ela, mas a juíza negou o pedido.

Mais informações

Embora o pai da cantora tenha sido seu tutor legal desde 2008, no outono de 2019 o Tribunal de Los Angeles nomeou a advogada Jodi Montgomery como guardiã temporária dos aspectos pessoais da artista, depois que Jamie citou motivos de saúde para deixar a função. Em uma audiência posterior em 2020, o advogado de Britney Spears solicitou que Montogomery continuasse a desempenhar esse papel, já que a cantora expressou sua “forte oposição” ao controle de seu pai nas decisões de sua vida privada e pública.

Atualmente, a tutela legal é dividida em duas partes: a pessoal, ainda supervisionada por Montogomery, e a financeira, sobre a qual o pai ainda exerce o controle junto com um fundo de investimento. “O Sr. Spears não é seu tutor. Ele não tem sido o seu tutor desde setembro de 2019. A Sra. Montgomery está totalmente encarregada do cuidado pessoal e do tratamento médico diário da Sra. Spears“, garante a defesa do pai. Jamie Spears também afirma que ele não pode se comunicar diretamente com sua filha e que ficou “muito triste ao saber de suas dificuldades e sofrimento.”

No entanto, a declaração do pai não condiz com o depoimento de Britney, que na semana passada afirmou que Jamie Spears “gostava” de exercer controle sobre ela e que ele deveria estar na prisão. Ele também citou episódios que datam de 2018, quando seu pai era o tutor legal completo, em que foi forçada a trabalhar contra sua vontade e em que recebeu fortes medicamentos de lítio ao se recusar a ensaiar para um show em Las Vegas.

Quero ter minha vida de volta”, implorou a cantora, que questionou como poderia estar realmente incapacitada desde 2008 se entre 2013 e 2017 ela estrelou outro show em Las Vegas que rendeu milhões de dólares, além de gravar álbuns e se apresentar em premiações. “Essa tutela está pagando o salário de muita gente. Estou farta “, disse a cantora perante um tribunal de Los Angeles durante uma entrevista por telefone repleta de declarações contundentes como ”Não estou feliz “,”Não consigo dormir “e” Choro todos os dias“.

Por sua vez, a tutora Montgomery publicou uma declaração, por meio de sua advogada Lauriann Wright, para negar as acusações do pai de Britney e afirmar que seu único propósito é “encorajá-la a seguir seu caminho para que ela não precise mais de tutela”.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: