Tráfico de imigrantes

Vietnã detém quatro pela morte de 39 imigrantes no Reino Unido

Autoridades do país asiático buscam um quinto suspeito numa operação contra o tráfico humano

Imagem do caminhão onde foram encontrados os 39 cadáveres.
Imagem do caminhão onde foram encontrados os 39 cadáveres.

As autoridades do Vietnã detiveram quatro pessoas e procuram um quinto suspeito numa operação contra o tráfico humano iniciada depois que 39 migrantes foram achados mortos em um caminhão no Reino Unido.

A operação policial ocorreu no sábado na província de Nghe An, no centro do país, na qual, junto com a província vizinha de Ha Tinh, 24 famílias denunciaram até agora o desaparecimento de familiares depois do ocorrido.

Mais informações

Os detidos, com idades entre 40 e 60 anos, foram acusados de "organizar ou forçar que outras pessoas viajem ao exterior ou trabalhem no exterior ilegalmente" mediante uma agência que teria administrado 400 solicitações desde 2015, segundo o site VnExpress.

O quinto procurado foi denunciado por uma mulher a quem ele supostamente ajudou a ir trabalhar na França, de onde acabou sendo expulsa por usar um visto falso.

14 famílias do Nghe An e outras 10 de Ha Tinh denunciaram o desaparecimento de seus filhos em 23 de outubro, dia em que os corpos sem vida de 31 homens e oito mulheres foram achados no interior de um caminhão frigorífico em Essex, no leste da Inglaterra.

A polícia informou num primeiro momento que todas as vítimas achadas no caminhão eram de nacionalidade chinesa, mas admitiu mais tarde que os dados sobre a identificação dos cadáveres estão "evoluindo". A Embaixada do Vietnã em Londres contatou a polícia para expressar seus temor de que haja mortos desse país do Sudeste Asiático entre as vítimas encontradas dentro do caminhão.

Em Pequim, o porta-voz da chancelaria chinesa, Geng Shuang, disse que "a embaixada da China no Reino Unido está em estreito contato com a parte britânica para que facilite mais informações eficazes a fim de verificar a identidade das vítimas".

Geng afirmou que a Embaixada da China em Hanói também está "em estreito contato com a parte vietnamita" para acompanhar o caso, mas se negou a confirmar que as vítimas pudessem ser de nacionalidade vietnamita, porém portando documentação chinesa.

As províncias vietnamitas de Ha Tinh e Nghe An têm uma elevada percentagem de população rural e níveis de desenvolvimento inferiores aos de outras partes do Vietnã, por isso muitos de seus jovens decidem emigrar para a Europa em busca de oportunidades.

Com 100 milhões de habitantes e um PIB que cresceu 7,08% em 2018, o Vietnã vem avançando muito na erradicação da pobreza, mas ainda persistem problemas como a desnutrição infantil e a desigualdade, sobretudo em zonas rurais.

Os emigrantes vietnamitas pagam entre 10.000 e 40.000 dólares (entre 40.000 e 160.000 reais) aos traficantes pela viagem à Europa, segundo um estudo de grupos contra o tráfico de pessoas.