COLETES AMARELOS

Mais de cem manifestantes são detidos em Paris em novo protesto dos ‘coletes amarelos’

Policiais usaram gás lacrimogêneo. Manifestações em defesa do clima e contra as mudanças na aposentadoria também aconteceram pela cidade

Policiais derrubam homem em rua de Paris neste sábado, em um novo protesto dos 'coletes amarelos'
Policiais derrubam homem em rua de Paris neste sábado, em um novo protesto dos 'coletes amarelos'Lucas BARIOULET (AFP)

A chefe da polícia de Paris comunicou que até às 13h de sábado (8h de Brasília) 106 pessoas foram presas na capital francesa em uma manifestação dos 'coletes amarelos' realizada junto a dois outros protestos, um em defesa do clima e outro contra a reforma das aposentadorias. Em meio a um grande dispositivo de segurança —o Governo mobilizou aproximadamente 7.500 policiais para evitar confrontos—, os agentes utilizaram gases lacrimogêneos para dispersar os manifestantes, que se dirigiam à avenida dos Campos Elíseos, onde lojas foram saqueadas em marchas anteriores.

MAIS INFORMAÇÕES

O protesto dos coletes amarelos, que completam seu 45° dia de reivindicações, não estava autorizado pelas autoridades. Membros do coletivo, entretanto, se mobilizaram em vários pontos centrais de Paris, como a praça Madeleine, onde a polícia dispersou 300 pessoas.

Uma porta-voz da prefeitura, Laetitia Vallar, afirmou ao meio-dia (7h de Brasília) que “a calma reina nas ruas de Paris” apesar de algumas “ações espontâneas”. De qualquer forma, disse que estão sendo “cautelosos”. As autoridades aumentaram as precauções pelo temor da presença dos chamados black blocs, grupos violentos antissistema repletos de mascarados responsáveis por confusões nas manifestações.

No total, a polícia realizou mais de 1.250 pontos de revista nos quais apreendeu bolas de bocha, um martelo e um morteiro escondido em um aparelho de DVD: “Armas que não têm lugar em manifestações autorizadas e pacíficas”, disse Vallar. A mobilização não autorizada dos 'coletes amarelos' coincide no sábado com um protesto convocado pela Frente Operária contra a reformas das aposentadorias em Duroc e com uma manifestação contra a mudança climática nos jardins de Luxemburgo. Na sexta-feira, milhares de pessoas também participaram em outra marcha na capital francesa em defesa do clima e contra a mudança climática. A maior parte dos participantes era de jovens e estudantes.

Além da mobilização policial, as autoridades fecharam trinta estações do metrô e cercaram bairros inteiros do centro da capital pelo temor de episódios violentos, como já aconteceu outras vezes.

As mobilizações dos coletes amarelos começaram em novembro de 2018 para protestar contra o aumento dos impostos ao diesel e em dezembro atingiram seu auge com os protestos contra a repressão das manifestações. A situação levou o presidente francês, Emmanuel Macron, a anunciar um pacote de medidas econômicas para melhorar as condições de vida da classe média e trabalhadora.

Arquivado Em: