Eclipses

Onde e como ver o eclipse solar 2019

Único eclipse solar total do ano pode ser observado na Argentina e no Chile nesta terça-feira, 2 de julho, e parcialmente no Brasil. Porto Alegre (RS) terá a melhor visibilidade do fenômeno

Veja como será o eclipse solar total de 2 de julho de 2019.

Mais informações

O único eclipse solar total de 2019 poderá ser observado no Chile e Argentina nesta terça-feira, 2 de julho, no que é considerado o maior evento astronômico do ano. O Brasil está, em sua maior parte, fora da área que será engolida pela escuridão resultante do alinhamento entre o Sol, a Lua e a Terra, mas o fenômeno poderá ser parcialmente observado —entre 5% a 60% do eclipse—, em todas as regiões do país, com exceção do Nordeste, onde infelizmente ninguém notará a Lua ocultando o Sol por alguns minutos.

A palavra eclipse vem do grego ékleipsis, que significa "desaparecimento", e é precisamente o que acontecerá nesta terça-feira, a partir das 16h38 (hora local, ou 17h38 no horário de Brasília), quando o Sol desaparecerá por alguns minutos como consequência da movimentação da Lua ao redor da Terra. Em São Paulo, será possível ver cerca de 27% do eclipse, mas em algumas cidades do Sul do Brasil, como Porto Alegre, a visibilidade chegará a 58% (ou seja, mais da metade do Sol ficará coberto pela Lua). No site Time And Date há uma ferramenta que mostra o percentual de visibilidade do eclipse solar em qualquer cidade do mundo, basta consultar no mapa interativo para saber se é possível acompanhar o evento astronômico no município escolhido.

Mais informações

O eclipse solar total começará no Oceano Pacífico (a leste da Nova Zelândia), e de lá seguirá de percorrerá a América do Sul, do oeste para leste: passará às 16h38 (hora local) pelas regiões de Atacama e Coquimbo (Chile); e a partir das 17h40 (hora local) pelas províncias argentinas de San Juan, La Rioja, San Luis, Córdoba, Santa Fe e norte de Buenos Aires e também pelo Uruguai até perder-se no Oceano Atlântico.

É um fenômeno fascinante, porém, efêmero: a duração média é de dois minutos —a maior duração deverá ocorrer cerca de 1.000 quilômetros da Ilha de Páscoa (Chile), onde o dia se transformará em noite por um total de 4 minutos e 32 segundos.

A velocidade média da sombra da Lua cruzando a América do Sul será de 2735 quilômetros por hora, o que é 2,5 vezes mais rápido do que um jato supersônico.

Quem estiver em São Paulo e olhar para o céu às 17h verá 27% do Sol 'escondido' pela Lua.
Quem estiver em São Paulo e olhar para o céu às 17h verá 27% do Sol 'escondido' pela Lua.timeanddate

Os eclipses solares totais costumam acontecer em algum ponto do mundo a cada 18 meses, em média. Mas o Brasil só poderá ver em sua totalidade um eclipse solar total em 2045. A Estação Espacial Internacional (NASA) vai transmitir em vídeo ao vivo o fenômeno, com imagens obtidas pelos telescópios em Vicuña, no Chile.

Aos que estarão nas regiões do Chile e da Argentina onde haverá visibilidade total do grande eclipse solar sul-Americano, é importante munir-se de equipamentos próprios para observar o fenômeno. Há óculos e outras lentes com filtro especial para observação das luzes solares, e não é recomendável olhar diretamente para o Sol, seja a olho nu ou com óculos de sol, radiografias e telescópios.

O site 'Time and Date' tem uma ferramenta que mostra o índice de visibilidade do eclipse desta terça em qualquer cidade do mundo. Em Rolândia, município do Paraná, metade do Sol ficará encoberto pela Lua.
O site 'Time and Date' tem uma ferramenta que mostra o índice de visibilidade do eclipse desta terça em qualquer cidade do mundo. Em Rolândia, município do Paraná, metade do Sol ficará encoberto pela Lua.Reprodução/ timeanddate

 Com informações da Efe