Seleccione Edição
Login

Manchester City indenizará jogadores que foram vítimas de abuso sexual no clube

Time inglês anuncia criação de um fundo milionário destinado aos 40 atletas abusados na infância por ex-treinadores de suas categorias de base

Manchester City abuso sexual indenizaçao vitimas
Centro de treinamento do Manchester City. Getty Images

O Manchester City indenizará vítimas de violência sexual infantil por parte do ex-treinador das categorias de base, Barry Bennell, que foi condenado a 31 anos de prisão por 43 denúncias de abuso contra 12 jovens jogadores, entre 1979 e 1990, quando trabalhou para o City e para o Crewe Alexandra. Para o Tribunal de Liverpool, Bennell, 64, cometeu abuso, estupro e assédio sexual de crianças com idades entre 8 e 15 anos.

Em um comunicado, o clube informa que uma investigação independente também revelou “sérias acusações de abuso sexual infantil” por parte de outro ex-técnico da equipe, John Broome, cujas supostas vítimas também serão elegíveis para receber uma compensação financeira. Broome, que trabalhou no City entre 1964 e 1971, morreu em 2010.

Detalhes do plano de indenizações não foram revelados, mas canais britânicos, incluindo a BBC, asseguram que o Manchester City vai disponibilizar milhões de libras em um fundo de reparação às vítimas. Ainda segundo a BBC, o clube pretende indenizar 40 ex-jogadores, embora avalie que o número de casos pode ser maior. As vítimas que sofreram os delitos mais graves devem receber quantias de seis dígitos por danos morais e também uma desculpa pessoal por parte de um dirigente de alto escalão dos Citizens.

“O clube reitera sua sincera solidariedade a todas as vítimas pelas experiências traumáticas inimagináveis que suportaram. Todas as vítimas tinham direito a uma proteção completa contra o tipo de dano que sofreram após serem sexualmente abusadas quando crianças”, lamentou o City em um comunicado. A investigação independente, iniciada em novembro de 2016, vai prosseguir. Por isso o clube inglês mantém aberto um canal de denúncias e incentiva outras vítimas de seus ex-técnicos abusadores a buscarem atendimento.

MAIS INFORMAÇÕES