Presidente Jair Bolsonaro

Com febre, Bolsonaro deve ficar internado mais uma semana

A previsão inicial era de que o presidente recebesse alta na quarta-feira

O presidente Jair Bolsonaro faz uma videoconferência com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno.
O presidente Jair Bolsonaro faz uma videoconferência com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno.HANDOUT (REUTERS)

Depois de sofrer uma parada intestinal no sábado, o presidente Jair Bolsonaro continuará na unidade de tratamentos semi-intensivos do hospital Albert Einstein, em São Paulo, até pelo menos a próxima segunda-feira (11/02), segundo o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros. Bolsonaro está internado há uma semana, após ter sido submetido a uma cirurgia para a retirada da bolsa de colostomia que levava desde que sofreu um atentado à faca em setembro, durante a campanha eleitoral. A previsão inicial era de que o presidente recebesse alta na quarta-feira (06/02).

De acordo com o boletim médico desta segunda-feira, Bolsonaro teve febre na noite de domingo (37,3 °C) e apresentou alteração de alguns exames laboratoriais. O presidente "foi submetido à punção guiada por ultrassonografia e permanece com dreno no local. Está no momento sem dor, afebril, em jejum oral, com sonda nasogástrica e nutrição parenteral exclusiva. Já apresenta movimentos intestinais e teve dois episódios de evacuação. Segue realizando exercícios respiratórios e de fortalecimento muscular no quarto", diz o boletim.

As visitas ainda estão restritas, por ordem médica. Somente a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), um de seus filhos, acompanham o presidente, que também está impedido de falar. Bolsonaro continuará despachando do gabinete improvisado pelo Palácio do Planalto ao lado do quarto em que se encontra.

Arquivado Em: