Tragédia na Itália

Correria em discoteca na Itália deixa ao menos seis mortos e mais de cem feridos

Tumulto ocorreu após uma substância urticante ter sido lançada no local durante um show, de acordo com os bombeiros

Pessoal de emergências atende às vítimas da estampida em Corinaldo.
Pessoal de emergências atende às vítimas da estampida em Corinaldo. (REUTERS)

Mais de 1.000 jovens estavam no local. A maioria entre 16 e 18 anos. A discoteca realizava uma noite de trap com o artista Sfera Ebbasta, um dos músicos mais conhecidos da Itália e ídolo dos adolescentes, para comemorar o Natal. Havia alunos de pelo menos cinco escolas da região que foram de ônibus fretados. Alguns acompanhados de seus pais. Duas horas depois do início da sessão, já depois de 1h da madrugada e quando ainda não havia começado o show do artista, alguém notou algum tipo de gás urticante no ambiente e começou a correr. A correria que se formou no interior da discoteca Lanterna Azzurra, em Corinaldo (Ancona, região central de Marcas) jogou ao chão dezenas de pessoas. Seis morreram e mais de uma centena se feriu. Cinco das vítimas são menores de idade e a outra é a mãe de um dos jovens que foi à festa.

MAIS INFORMAÇÕES

A correria aconteceu quando supostamente alguém jogou “uma substância urticante” que poderia ser spray de pimenta para autodefesa. “Os jovens fugiram se pisoteando”, disseram os bombeiros no Twitter. Cinco dos mortos são menores de idade - três meninas e dois meninos - mas entre os feridos existem 13 em estado muito grave. “Estamos ouvindo as testemunhas, todas menores de idade. Ainda não podemos adiantar uma hipótese, mas a tragédia é enorme. Algo causou pânico entre os jovens e muitos foram esmagados pela correria”, disse o coronel dos carabinieri na manhã de sábado.

O ministro do Interior, Matteo Salvini, que no sábado tem uma grande manifestação no centro de Roma e não irá ao local da tragédia, publicou uma mensagem de condolências em suas redes sociais e falou no canal de televisão Sky TG24. “Estou em contato com os investigadores e os serviços de emergência. Parece que o local recebeu muito mais gente do que o permitido. Se for assim, é evidente que existirão responsabilidades. Não havia portas bloqueadas e sim a queda de plataformas por excesso de peso. A causa? Estão falando de diversos tipos de substâncias, mas ainda não sabemos”.

As primeiras testemunhas confirmaram a hipótese de substância urticante. “Estávamos dançando, esperando o começo do show quando sentimos um cheiro ácido”, contou à imprensa um jovem de 16 anos que ficou ferido e foi levado em estado de confusão a um hospital de Ancona. “Corremos em direção a uma das saídas de emergência, mas estava bloqueada, os porteiros nos falaram para voltar”.

Os investigadores tentam averiguar o que provocou a correria e por que cedeu a estrutura em que estava o maior número de jovens e vítimas fatais. O local, de acordo com as primeiras informações, tem três saídas de emergência: uma delas leva a uma pequena ponte que atravessa um fosso e conecta a discoteca ao estacionamento. Foi aí que ocorreu o acidente. Segundo as primeiras investigações, quando os jovens se amontoaram nesse local, a ponte cedeu e caíram no pequeno fosso.

Nas imagens divulgadas pelos bombeiros é possível ver centenas de jovens sendo atendidos na rua e alguns deles levados em macas. Os feridos foram distribuídos em hospitais das cidades próximas e os mais graves estão sendo atendidos em Ancona.

Arquivado Em: