Seleccione Edição
Login

Epidemia de assassinatos atinge o Congresso do México em plena sessão

A deputada Carmen Medel recebeu a notícia do assassinato de sua filha de 22 anos durante uma sessão do Congresso

A epidemia de assassinatos do México atinge o Congresso em plena sessão.  A deputada Carmen Medel, do Morena, ao tomar conhecimento do assassinato de sua filha durante uma sessão do Congresso mexicano. VIDEO: EFE

O México sofre de uma epidemia de homicídios que não distingue classe social, região ou profissão. Há cada vez menos locais não afetados pela violência que vem atingindo o país há anos e que fará de 2018 o ano mais sangrento em décadas. Nesta quinta-feira, a memória coletiva da dor ganhou uma nova recordação atroz. A Câmara dos Deputados suspendeu sua sessão minutos depois de a parlamentar Carmen Medel ter recebido por telefone a notícia do assassinato de sua filha, Valeria Cruz Medel, de 22 anos, em Ciudad Mendoza, no Estado de Veracruz.

Alguns jornais de Veracruz informaram que naquela tarde um homem armado entrou em uma academia no centro do Estado e abriu fogo contra Valeria Cruz. O ataque teria acontecido a poucos metros da prefeitura. O corpo da jovem – originária de Coatzacoalcos e estudante de Medicina da Universidade Veracruzana – ficou estendido entre os pesos e aparelhos de treinamento. Veracruz, que tem oito milhões de habitantes, já superou 1.000 homicídios até agora este ano.

Depois de receber o telefonema, a deputada Medel, do Movimento de Regeneração Nacional (Morena), sofreu uma crise nervosa em sua cadeira no plenário. Começou a gritar de raiva e a bater nas cadeiras vizinhas, o que levou o presidente da Câmara a suspender a sessão e solicitar o atendimento dos serviços de urgência. A interrupção da sessão se tornou um episódio viral que permitiu que muitos mexicanos tomassem conhecimento da tragédia que vivem diariamente dezenas de cidadãos anônimos em um país que já ultrapassou os 22.000 homicídios neste ano.

Porfírio Muñoz Ledo, presidente da Câmara dos Deputados, encerrou a sessão minutos depois. “Não posso deixar este momento passar sem enfatizar o grave estado em que se encontra a nação, a vulnerabilidade das famílias e, acima de tudo, a impunidade. Neste caso, que ela não exista”, disse a partir da mesa diretora da Câmara baixa. Os trabalhos legislativos serão retomados na terça-feira, 13 de novembro.

O episódio levou a um momento de solidariedade entre as diferentes forças políticas, que atravessam semanas de animosidade e polarização desde 1º de setembro, quando foi instalado o novo Congresso com maioria do Morena e deslocou para a oposição forças como o PRI e o PAN. Os deputados presentes foram à tribuna em um ato de repúdio ao crime.

Pablo Gómez, um dos nomes mais importantes do Morena, falou em nome de todos os deputados. “Valeria foi hoje vítima do estado de violência em que vivem os mexicanos e mexicanas... Estamos todos sujeitos a essa crise de violência. Todos juntos, como legislatura, devemos responder, devemos pacificar o México”, disse.

A tragédia atingiu a família da deputada Medel no momento em que o presidente eleito, Andrés Manuel López Obrador, refina os detalhes de seu antecipado plano de segurança, que será lançado na quarta-feira, 14 de novembro. A proposta será o primeiro passo do novo Governo para conter um fenômeno que nesta quinta-feira se infiltrou no Congresso mexicano para destruir mais uma vida.

MAIS INFORMAÇÕES