Tiroteio em Cancún deixa pelo menos cinco mortos

Primeiras versões apontam para um confronto entre policiais e bandidos, longe da área turística do balneário mexicano

(CUARTOSCURO)

Cinco pessoas morreram e duas ficaram feridas num tiroteio em Cancún na noite desta sexta-feira. As primeiras versões descrevem um confronto entre policiais e bandidos a partir das 20h44 (18h44 em Brasília). Pelo menos um agente morreu e outro ficou ferido, segundo nota do Governo do Estado de Quintana Roo.

MAIS INFORMAÇÕES

O fato ocorreu em Porto Juárez, a 15 quilômetros da zona hoteleira dessa conhecida cidade mexicana, num estabelecimento comercial que estava fechado, e não em um restaurante, como diziam as primeiras versões. Alguns meios de comunicação locais falam em sete a 12 mortos. As autoridades descartam que haja estrangeiros entre as vítimas.

Equipes de emergências se deslocaram ao local para atender os feridos. A Secretaria de Segurança Pública, a Polícia Municipal de Benito Juárez, a Polícia Ministerial, a Polícia Federal, o Exército e a Marinha ativaram os protocolos de segurança. As autoridades ministeriais já trabalham na investigação do ocorrido.

Cancún vive uma sombria onda de terror e sangue que golpeia o coração da indústria hoteleira do país, onde se produz quase 2,5% do produto interno bruto mexicano. Na hora do tiroteio, milhares de jovens norte-americanos, brasileiros, europeus e mexicanos passeavam pelo boulevard Kukulcán, o coração da festa da cidade caribenha, alheios a toda violência.

Esta não é a primeira vez que a joia turística mexicana enfrenta a fúria do crime organizado. Em junho de 2017, um tiroteio de 20 minutos no centro da capital causou pânico entre os turistas. Em janeiro do ano passado, em Playa del Carmen, uma cidade próxima a Cancún, um grupo armado abriu fogo contra o público de uma discoteca, deixando cinco mortos e 15 feridos.

Os especialistas atribuem o aumento da violência à fragilidade dos cartéis tradicionais que controlavam a zona e à estratégica localização de Cancún: lugar de trânsito, chegada e consumo de uma parte importante da cocaína que passa pelo Caribe.

Com quase 900.000 habitantes, Cancún é, com Cuba, o principal destino caribenho, e suas praias paradisíacas são responsáveis por 25% de todo o dinheiro que entra no país graças ao turismo, a segunda fonte de renda do México, depois das remessas internacionais.

Arquivado Em: