Seleccione Edição
Login

Santuário de Lourdes denuncia artista que apareceu nua no meio de uma procissão

Os próprios peregrinos se apressaram em tampar Déborah de Robertis, que se exibiu na Gruta das Aparições sem roupa, com as mãos em posição de reza e a cabeça coberta por um véu azul

A artista Déborah de Robertis se desnuda no interior do Santuário de Lourdes.
A artista Déborah de Robertis se desnuda no interior do Santuário de Lourdes.

O santuário francês de Nossa Senhora de Lourdes anunciou no último domingo que apresentou uma denúncia formal contra a artista franco-luxemburguesa Déborah de Robertis. A mulher, de 34 anos, se despiu na Gruta das Aparições durante um ato religioso dois dias antes, especificamente no transcurso de uma procissão na tarde da sexta-feira. De Robertis apareceu nua diante da imagem da Virgem, com as mãos em posição de reza e a cabeça coberta com um véu azul, conforme noticiou o semanário Le Journal du Dimanche. Imediatamente, vários peregrinos se aproximaram para tentar tampá-la. “No sábado, 1º de setembro, descobrimos que se tratou de um ato premeditado, vinculado a uma intenção supostamente artística”, denunciou o Santuário em nota.

Depois de receber vários telefonemas de testemunhas, a polícia acabou detendo a artista, que será julgada em maio de 2019 pelo delito de exibição sexual, segundo relatou o promotor da localidade de Tarbes à emissora Europe 1. Além disso, o Santuário condenou este tipo de ato exibicionista e deplorou a ação realizada pela artista, qualificando-a “como um vilipêndio à consciência religiosa e à liberdade de culto”. A instituição também pediu desculpas aos peregrinos presentes naquele momento e principalmente às “famílias com crianças”.

De Robertis, que já protagonizou outros “atos de exibicionismo” semelhantes no passado, escreveu uma mensagem no Twitter citando uma passagem da Bíblia junto com uma imagem do seu ato na sexta-feira. Também divulgou no YouTube um vídeo que foi censurado, conforme anunciou ela mesma no Twitter. A Justiça a intimou a depor em outubro passado por fatos ocorridos no Museu do Louvre de Paris. Naquele caso, De Robertis foi posta em liberdade, já que ficou decidido que se tratava de um “ato militante e artístico” com o objetivo de questionar o lugar das mulheres na história da arte.

A artista francesa também se despiu em janeiro de 2016 no Museu d’Orsay, em Paris, diante da tela Olympia, de Édouard Manet, com a intenção de recriar a obra ao vivo. De Robertis foi detida por exibicionismo sexual, embora tenha salientado que apenas fez uma “performance artística”.

MAIS INFORMAÇÕES