Seleccione Edição
Login

Na bolsa de apostas do Real Madrid, Tite nega sondagem: “É mentira”

Segundo ‘O Globo’ e a Rádio Sagres, o clube espanhol se aproximou do treinador.

Questionado, o técnico da seleção brasileira disse que não entrou em contato com ninguém

Tite
Tite em entrevista coletiva no Anfield, em Liverpool, no dia 2 de junho. AFP

Oito dias depois da surpreendente saída de Zidane, o Real Madrid continua sem treinador. A enorme dificuldade para contratar Mauricio Pochettino (o favorito, mas renovou contrato há duas semanas e o Tottenham se nega a deixá-lo partir) e Jürgen Klopp e o “não” de Massimiliano Allegri e Joachim Löw obrigam o clube madrilenho a continuar analisando quais opções existem no mercado para substituir o francês. Aos nomes do Antonio Conte e Maurizio Sarr, que nos últimos dias ganharam força, soma-se agora o de Tite (57 anos). Segundo informações divulgadas sexta-feira pelo jornal O Globo e pela Rádio Sagres, o Real Madrid sondou o treinador da seleção brasileira sobre a possibilidade de que ele comande o clube.

O contrato de Tite com a Confederação Brasileira de Futebol termina ao acabar a Copa do Mundo da Rússia. No início da semana, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, ofereceu-lhe mais quatro anos (até o Mundial do Qatar), mas o técnico adiou uma decisão sobre o assunto até depois da participação da seleção canarinho na Rússia. O Globo entrou em contato com o agente do Tite, que não quis nem confirmar nem negar essa primeira aproximação do Real Madrid: “Prefiro não comentar o assunto”. Neste sábado, contudo, Tite negou a existência de qualquer contato. "Sobre mim, quando é opinião, merece. Quando coloca entre aspas, é mentira de atitude desrespeitosa. É desrespeito, mentira. É a minha palavra, não entrei em contato com ninguém", disse, acrescentando que seu empresário, Gilmar Veloz, também não fez nenhum contato.

Em junho de 2016, depois de conquistar tudo com o Corinthians (dois Brasileirões, uma Copa do Brasil, uma Libertadores, um Mundial de Clubes e uma Recopa Sul-Americana), Tite assumiu o comando de uma seleção brasileira à deriva (na sexta colocação das eliminatórias, o que a deixaria fora da Copa do Mundo) e a resgatou até levá-la à Rússia com um jogo ofensivo e com jogadores jovens e de grande velocidade. Com ele, a seleção não perdeu nenhum jogo oficial. A opção por Tite para o comando do Real Madrid seria uma carta forte da Operação Neymar. Os dois têm uma relação muito estreita e Tite exerceu em várias ocasiões o papel de protetor do jogador. Já saiu em sua defesa em uma entrevista coletiva em novembro, quando alguns veículos de comunicação começaram a publicar que Neymar queria ir embora da França: “Posso falar do caráter e da índole do Neymar, do grande coração que tem”. Neymar, sentado a seu lado, começou a chorar.

Depois de deixar o Corinthians em 2014, Tite tirou um ano de descanso e viajou pela Europa, dedicando-se a conhecer de perto os métodos, treinamentos e conceitos de técnicos como Klopp, Pep Guardiola e Carlo Ancelotti. Ele visitou o italiano na capital espanhola, quando este treinava o Real Madrid, e ficou encantado com o time: “Meu ideal de conjunto é o Real Madrid de Ancelotti”, chegou a declarar. Agora, segundo O Globo, tem a oportunidade de sentar-se no banco que Carletto ocupou.

MAIS INFORMAÇÕES