Seleção brasileira

Tite é o novo técnico da seleção brasileira

Treinador foi anunciado nesta quarta-feira pela CBF para o lugar de Dunga

Tite, ex-treinador do Corinthians.
Tite, ex-treinador do Corinthians. (Agência Corinthians)

MAIS INFORMAÇÕES

Campeão mundial, da Copa Libertadores e bicampeão brasileiro pelo Corinthians, o técnico Tite é o novo comandante da seleção brasileira. Aos 55 anos, Adenor Leonardo Bacchi foi anunciado nesta quarta-feira para o lugar de Dunga, dispensado nesta terça, e terá pela frente o desafio de fazer a equipe voltar a vencer. O ex-treinador do Corinthians assume o cargo após dois dos piores anos da seleção brasileira, desde o 7 a 1 para a Alemanha na Copa do Mundo de 2014. De lá para cá, foram duas eliminações precoces em duas edições da Copa América, muitos tropeços e apenas o sexto lugar nas eliminatórias para a Copa de 2018, fora da zona de classificação.

O novo comandante brasileiro é unanimidade no país. Considerado o melhor técnico do Brasil, venceu com o Corinthians em 2012 os dois títulos mais importantes da história do clube: a Copa Libertadores e o Mundial de Clubes. No ano passado, levou a equipe à conquista do Campeonato Brasileiro, assim como havia feito em 2011. Desde o final da Copa de 2014, Tite já aguardava o convite da CBF. Deixou o Corinthians no fim de 2013 e na época negou várias propostas para se preparar para assumir a seleção após o Mundial. Passou sete meses viajando pela Europa, conhecendo e participando da rotina dos maiores clubes do mundo. Nunca negou que ficou decepcionado ao perder a vaga para Dunga. De volta ao Corinthians no começo de 2015, negou dois convites da Confederação, um no final do ano passado e outro em 2016. Sempre se recusou a conversar enquanto Dunga estivesse empregado.

Tite é famoso por ser extremamente leal a seus atletas. Conta com o carinho dos jogadores que trabalham com ele. Um de seus métodos é só fazer mudanças na equipe depois de conversar cara a cara com o atleta que entra e o que sai. Em entrevista coletiva na terça-feira antes do anúncio oficial da CBF, Fabio Santos, lateral-esquerdo do Atlético-MG que trabalhou com o técnico no Corinthians em 2012, aprovou a chegada dele à seleção. "A saída do Tite para a seleção ja deveria ter acontecido há muito tempo. Já venceu tudo o que podia. É um grande profissional, um cara muito do bem e merece essa chance". O centroavante Fred, titular na Copa do Mundo de 2014 pelo Brasil, viu com bons olhos a mudança. "Antes do Dunga assumir, na minha opinião ja tinha que ser ter sido o Tite".

Em dezembro do ano passado, o novo treinador da seleção brasileira assinou um manifesto contra a CBF que pedia a renúncia do presidente Marco Polo Del Nero, o mesmo dirigente que agora o contratou. O documento foi organizado por jogadores do Bom Senso FC e da ONG Atletas e contou com o apoio de mais de cem personalidades ligadas ou não ao futebol, entre elas Pelé, Zico, Rogério Ceni, o compositor Chico Buarque e os cineastas José Padilha e Walter Salles.

Os primeiros compromissos de Tite com a seleção brasileira serão contra Equador e Colômbia, em 2 e 6 de setembro, pelas eliminatórias.

A saída de Dunga

Dunga foi demitido na tarde nesta terça-feira, em reunião na sede da CBFcom o presidente Marco Polo Del Nero. O técnico não resistiu ao fracasso da seleção na Copa América. O Brasil foi eliminado na fase de grupos do torneio após empate com o Equador, vitória sobre o Haiti e derrota para o Peru. Foi a segunda vez na história que a seleção caiu na primeira fase. Além disso, a equipe corre risco de ficar fora da Copa do Mundo de 2018. Ocupa a sexta posição nas eliminatórias sul-americanas, com 9 pontos, fora da zona de classificação. O líder é o Uruguai, com 13.

Esta foi a segunda passagem de Dunga no cargo. Ele iniciou a carreira de treinador em 2007, quando assumiu o comando da seleção prometendo renovação após a fracassada campanha da equipe na Copa do Mundo de 2006 (foi eliminada nas quartas de final pela França). Foi demitido pouco depois do Mundial de 2010 e responsabilizado pela eliminação contra a Holanda nas oitavas de final. Ainda assim, conseguiu vencer a Copa América de 2007 e a Copa das Confederações de 2009.

Olimpíada

A CBF queria Tite no comando da seleção olímpica que disputará os Jogos do Rio em agosto. Sem participar de nenhuma das etapas da preparação para o torneio, o corintiano disse não ao projeto e, segundo o portal UOL, indicou Rogério Micale para ocupar o cargo. Micale é técnico da seleção sub-20. Foi responsável por formar e até convocar o time olímpico nos últimos anos. Foi ele, inclusive, quem definiu a lista de 35 jogadores pré-convocados para a Olimpíada, enviada para o Comitê Olímpico Internacional nesta quarta-feira. Neymar e Douglas Costa estão entre os confirmados acima de 23 anos. Falta uma vaga, que deve ser preenchida pelo zagueiro Miranda.

Arquivado Em: