Seleccione Edição
Login

‘Nuvens’, ‘A Tirania do Amor’: dicas de leitura de EL PAÍS para este maio

Cristovão Tezza, Hilda Machado, Ricardo Adolfo e Rodrigo Lacerda são os autores indicados pelo EL PAÍS

'Reserva Natural', novo livro de Rodrigo Lacerda
'Reserva Natural', novo livro de Rodrigo Lacerda

A partir de maio, o EL PAÍS começa a publicar mensalmente, entre a primeira e última quinzena do mês, indicações de leitura de livros lançados recentemente. Há espaço para as pequenas e grandes editoras, assim como para autores nacionais e estrangeiros de ficção ou não-ficção. Este mês, há poesia com a publicação póstuma do livro Nuvens, de Hilda Machado; romance com A Tirania do Amor, de Cristovão Tezza, e Maria dos Canos Serrados, do português Ricardo Adolfo, inédito no Brasil; e, por fim, contos com Reserva Natural, de Rodrigo Lacerda. Conheça os livros abaixo e boa leitura.

Nuvens

Hilda Machado
Editora 34

Em “Poeta”, que integra o livro Nuvens, de Hilda Machado, a autora questiona de que serviria revelar ao público os poucos poemas que escreveu se, de antemão, adivinha que seria comparada a Adélia Prado, Hilda Hilst ou Orides Fonteles. No poema, está a auto-reflexão irônica do fato de até aquele momento nunca ter publicado um só escrito, mas também a constatação do lugar reservado às mulheres pela crítica literária brasileira: o de gueto feminino. Ela nunca poderia ser comparada com um outro autor, seria sempre colocado ao lado de outras mulheres, como se o que produzissem fosse menor. Assim, o texto serve mesmo como uma apresentação da autora Hilda Machado: uma incógnita. Em vida, ela publicou apenas dois poemas. Cineasta, professora da Universidade Federal Fluminense, nasceu no Rio de Janeiro em 1951 e morreu em São Paulo, em 2007. Sua produção ficou perdida em manuscritos esparsos nunca publicados. Agora, este Nuvens, que havia sido registrado no final dos anos 1990 pela própria autora junto à Biblioteca Nacional, foi recuperado pelo poeta Ricardo Domeneck e pela irmã da autora, Angela Machado. O livro póstumo traz à luz a poesia de Hilda Machado, mas também repara um pouco das injustiças literárias impostas a tantos outros poetas que, por uma ou outra questão, permaneceram anônimos em vida.

‘Nuvens’, ‘A Tirania do Amor’: dicas de leitura de EL PAÍS para este maio

Maria dos Canos Serrados

Ricardo Adolfo
Dublinense

Inédito no Brasil até agora, Ricardo Adolfo é apresentado por outros autores, como Valter Hugo Mãe e José Eduardo Agualusa, como grande representante da nova literatura portuguesa. “Ricardo Adolfo observa o seu país com feroz e acutilante ironia”, diz Agualusa. Em Maria dos Canos Serrados, espécie de thriller de sexo e violência, surge um Portugal periférico, de pequenos golpistas e gente “miúda”, à margem. A trajetória da protagonista Maria – que vai da perda do emprego em uma empresa falida, passando por estandes de tiro e noitadas regadas à álcool e sexo, até uma incursão no mundo do crime com uma arma de caça Baikal de cano serrado –, é revelada através de cartas e mensagens que ela envia para seu amante, um gigolô com quem vive uma relação de amor e ódio. Entre ironias e ação, o texto, repleto pela linguagem das ruas portuguesas, revela a vida de quem vive entre tragédias e misérias em plena Europa. Nascido em 1974, na cidade de Luanda, em Angola, Adolfo viveu nos arredores de Lisboa, Macau, Amsterdã e Londres e hoje está em Tóquio. Autor de romances, livros infantis, contos e crônicas também colabora no cinema.

‘Nuvens’, ‘A Tirania do Amor’: dicas de leitura de EL PAÍS para este maio

Reserva Natural

Rodrigo Lacerda
Companhia das Letras

Um momento de pura magia em meio à floresta quando um grupo de amigos citadinos, que acompanhavam dois caçadores, deparam-se com um enxame de vaga-lumes travando uma batalha de vida e morte com cupins, enquanto uma família de tamanduás-bandeira se banqueteiam, apesar de provavelmente saberem estar na mira de perseguidores. Um casal que se arrisca em meio à intempérie da natureza em uma trilha. Um pequeno traficante que prefere arriscar tudo a entregar sua boca. Um concurso literário que apresenta autores estreantes e seus estilos, assim como um jurado, também escritor, que procrastina, faz anotações e imagina um romance futuro. Todos são contos do novo livro de Rodrigo Lacerda, Reserva Natural, que, pelo título, pode dar a ideia de tratar do mundo natural, mas, que na verdade, tem o homem e seus conflitos como personagem principal. Lacerda é autor de outros títulos entre contos, infanto-juvenis e romances. Também atua como editor e tradutor. Em 2008, ganhou o Prêmio Jabuti por seu romance juvenil O Fazedor de Velhos.

‘Nuvens’, ‘A Tirania do Amor’: dicas de leitura de EL PAÍS para este maio

A Tirania do Amor

Cristovão Tezza
Todavia

Um dia de crise pessoal, com um divórcio iminente, na vida do economista e autor de autoajuda Otávio Espinhosa, transcorre em meio a outra crise, profissional, em que ele teme uma demissão ao mesmo tempo em que vê a consultoria financeira em que trabalha ser sacudida por uma investigação policial que apura casos de corrupção. O novo romance de Cristovão Tezza, A Tirania do Amor, funde as crises de seu protagonista Espinhosa com uma terceira crise, a política e institucional brasileira, para revelar um retrato da elite econômica e social do Brasil. Em entrevista ao EL PAÍS, Tezza falou sobre a atualidade do livro, que parece ter sido escrito ao mesmo tempo em que foi publicado: “O romance é um gênero que não teme o que é imediatamente contemporâneo, a vida concreta em torno, nem suas referências sociais, políticas, culturais”.

MAIS INFORMAÇÕES