Seleccione Edição
Login

Atentado suicida contra um cartório eleitoral em Cabul deixa 57 mortos

Explosão aconteceu em um local de registro de eleitores de maioria hazara no Afeganistão

Atentado em Cabul
Afegãos recolhem documentos e fotos das pessoas mortas e feridas no atentado deste domingo em Cabul. AP

Pelo menos 57 pessoas foram assassinadas no domingo por um terrorista suicida que se explodiu em um cartório eleitoral do bairro de Dasht e Barchi, em Cabul (Afeganistão), zona de residência de muitos integrantes da minoritária comunidade xiita dos hazaras. O terrorista se posicionou na fila em que dezenas de pessoas, na maioria mulheres, esperavam para se registrar para votar. Outras 119 pessoas ficaram com ferimentos de variada gravidade. A vertente afegã do autodenominado Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado.

A explosão ocorreu por volta das 10 horas (2h30 no horário de Brasília) na área de Qala-e-Nazir, informou à agência EFE Hashmatullah Stanekzai, porta-voz da Polícia de Cabul. "Quase todos os mortos e feridos são civis”, acrescentou ele à France Presse.

Stanekzai disse que o suicida detonou os explosivos na “fila em que um grande número de pessoas, incluindo mulheres, aguardavam para entrar no cartório”. O centro de registro de eleitores se encontra em um bairro com grande população da minoria religiosa xiita hazara, habitual alvo de atentados por parte do Estado Islâmico.

O porta-voz- do ministério, Nayib Danish, confirmou à rede ToloNews que se tratou de um atentado suicida especificamente dirigido contra o cartório, aonde as pessoas iam recolher seu título de eleitor para votar nas eleições de outubro. “Mulheres, homens, crianças... tinham ido ao local para receber seus documentos”, lamentou o porta-voz.

O porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, afirmou na rede social Twitter que o Emirado Islâmico, como os talibans se denominam, não tinha nada a ver com a explosão de domingo na capital afegã.

Embora as eleições estejam marcadas para outubro, as autoridades afegãs decidiram antecipar em vários meses o registro de eleitores, dada a situação de insegurança no país, um fator determinante na hora de incentivar o voto. O processo de registro de eleitores para as eleições parlamentares começou na semana passada em Cabul.

Neste ano a capital afegã foi alvo de vários atentados, o mais letal deles perpetrado no final de janeiro pelo Talibã com uma ambulância-bomba que explodiu no meio da rua em um bairro central de Cabul, matando mais de uma centena de pessoas.

Depois desse ataque, as autoridades da capital revisaram todo o plano de segurança da cidade e o substituíram para evitar grandes atentados. O presidente afegão, Ashraf Gani, fez um chamado no final de fevereiro aos talibãs para negociações com vistas a uma solução pactuada para o conflito em que o país está mergulhado desde a invasão norte-americana em 2001.

MAIS INFORMAÇÕES