Seleccione Edição
Login

Presos fazem rebelião em cadeia do interior do Paraná após fuga de 40 detentos

Motim foi controlado por volta das 15h. Segundo a PM, 13 fugitivos foram recapturados

brasil
Motim, no ano passado no cárcere de Alcaçuz, no estado Rio Grande do Norte (Brasil). AFP

Uma rebelião na Cadeia Pública de Santo Antônio da Platina, no norte do Paraná, demorou cerca de cinco horas para ser controlada neste sábado. O motim começou após a fuga de cerca de 40 presos, dos quais ao menos 13 já foram recapturados, segundo informações da Polícia Militar.

A prisão desta cidade de 42.700 habitantes amanheceu já com o plano de fuga em marcha. O agente carcerário encarregado de servir o café da manhã aos presos foi quem descobriu que alguns deles tinham conseguido escapar das celas. O grupo tentou render o agente, mas ele conseguiu se livrar. O motim começou, logo em seguida, por volta das 9h, justamente com a fuga de detentos.

Durante a rebelião, os presos fizeram outros detentos reféns e subiram no telhado da delegacia. Uma sala da delegacia, que fica no mesmo prédio da cadeia, foi incendiada. A Secretaria de Segurança Pública de Paraná, encarregada da administração da penitenciária, detalhou que, até a manhã deste sábado, havia aproximadamente 140 presos na unidade, que foi projetada para abrigar 54. Muitos dos detentos reclamavam da superlotação.

Durante a negociação com a PM, os presos pediram a presença de um representante do Poder Judiciário. Uma juíza foi até a cadeia e conseguiu negociar com os detentos o fim do motim. A rebelião é mais uma mostra do crescente problema das prisões no Brasil, o segundo país do mundo onde a população carcerária cresce mais rápido. Segundo as estatísticas atuais, são mais de 300 presos por cada 100.000 habitantes no Brasil.

MAIS INFORMAÇÕES