Ronaldinho, Beckham e Zanetti: as maiores gafes do álbum da Copa

Nos últimos três Mundiais, publicação da Panini cometeu equívocos ao tentar antecipar as convocações nas figurinhas

Roque Júnior, Júlio Baptista e Renato estão no álbum da Copa de 2006, mas não foram convocados ao Mundial.
Roque Júnior, Júlio Baptista e Renato estão no álbum da Copa de 2006, mas não foram convocados ao Mundial.

“Fechamos a lista dos 18 jogadores de cada seleção em dezembro”, afirmou Vilson Manfrinati, diretor da divisão de futebol da Panini, editora responsável pelo álbum de figurinhas da Copa do Mundo Rússia 2018, no lançamento da publicação, em 12 de março. A lista citada por Manfrinati é a de jogadores que terão suas figurinhas no álbum, normalmente comercializado dois meses antes das convocações de cada seleção para o Mundial. Com tanta antecedência, é natural que apareçam erros na comparação entre os selecionados do livro e os selecionados da competição. O EL PAÍS consultou os três últimos álbuns, das Copas de 2006, 2010 e 2014, para checar quais foram os equívocos mais curiosos.

A começar pelo Brasil, que teve jogadores que acabaram não disputando a Copa em suas páginas nas três edições. Em 2006, foram Roque Júnior, Júlio Baptista e Renato. O zagueiro participou de boa parte das Eliminatórias, mas foi preterido por Lúcio, Juan, Cris e Luisão. O meia estava bem no Real Madrid e foi citado por publicações espanholas na época como “a grande ausência na lista de Parreira”, perdendo a concorrência para Kaká, Ronaldinho, Juninho Pernambucano e Ricardinho. Por fim, Renato, que estava no Sevilla, viu Emerson, Zé Roberto, Gilberto Silva e Edmílson serem escolhidos; o último ainda se machucou antes do início do Mundial – Mineiro, volante do São Paulo, foi seu substituto.

Em 2010, mais três erros: André Santos, Ronaldinho e Adriano. O lateral parecia o favorito para ocupar a vaga, mas, anos depois, revelou que ficou fora dos planos de Dunga por indisciplina; Michel Bastos e Gilberto, que não jogavam como laterais em suas equipes, foram escolhidos. Adriano, depois de um ótimo 2009 pelo Flamengo, caiu muito em 2010 e viu Grafite ocupar seu lugar. E Ronaldinho, no Milan, acabou na lista de espera; Elano, Kaká, Ramires e Júlio Baptista foram os meias convocados.

A edição de 2014 só trouxe um erro brasileiro: Robinho. Apesar de figurar em algumas convocações, o atacante não disputou a Copa das Confederações com Felipão no ano anterior e foi trocado por Bernard na lista final. Na atual edição, Filipe Luis deve ser o nome da vez: o lateral está no álbum e competia por uma vaga com Alex Sandro, mas teve uma fratura na fíbula da perna esquerda e está praticamente fora da Copa de 2018. Outra figurinha não garantida por Tite é a do meia Giuliano, apesar de convocado para os últimos amistosos.

Fora os brasileiros, os três álbuns tiveram alguns casos curiosos. Recentemente, Jhon Jairo Tréllez, pai do atacante do São Paulo, Santiago Tréllez, brincou no último 14 de março em postagem no Twitter por ter saído nos álbuns das Copas de 1990 e 1994, pela seleção colombiana, e não ter jogado nenhum dos dois Mundiais. A mesma situação aconteceu com Javier Zanetti; o defensor argentino estava no álbum de 2006, quando não foi convocado por José Pekerman, e no álbum de 2010, quando não foi à Copa por decisão de Maradona.

França não teve erros nas figurinhas

Beckham foi um dos erros do álbum da Copa de 2010.
Beckham foi um dos erros do álbum da Copa de 2010.

Pensando somente nas seleções mais tradicionais, o álbum de 2006 veio com poucos erros no geral. Os que mais chamam a atenção estão na Argentina: nas figurinhas do país sul-americano, além de Zanetti, estavam Samuel, zagueiro da Inter de Milão, Verón, meia também da equipe italiana, e D’Alessandro, então no Portsmouth. Nenhum dos três foi à Copa. Fora eles, a Panini errou em alguns centroavantes famosos, como Kevin Kuranyi, brasileiro naturalizado alemão, o italiano Vieri e o espanhol Morientes. Destaque para França, que não teve nenhum erro em suas figurinhas.

O álbum de 2010 apresentou outros equívocos. Alguns deles, imprevisíveis: Ballack ficou de fora da Alemanha por lesão, mesmo caso de Ferdinand e Beckham, na Inglaterra. Benzema foi ao álbum mas não à Copa do Mundo, assim como Cambiasso e Gago na Argentina, Walcott na Inglaterra e Rene Adler na Alemanha; das equipes tradicionais, apenas a Holanda esteve inteiramente correta. A publicação de 2014 sofreu mais com lesões, já que Strootman (Holanda), Ribery (França), Arbeloa (Espanha), Reus (Alemanha) e Rossi (Itália) estavam nas figurinhas, mas se machucaram às vésperas do Mundial. A Itália, empatada com a Inglaterra, foi a seleção com mais erros. Além de Rossi, Montolivo, Giaccherini e Gilardino estavam na equipe italiana do livro, mas não na Copa. Do lado inglês, Ashley Cole, Walker, Carrick e Townsend foram os equívocos. Ainda estão no álbum os não convocados Banega, argentino, Navas e Negredo, espanhóis, Van der Vaart, holandês, e Abidal e Nasri, franceses.

MAIS INFORMAÇÕES