Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Por que nunca veremos Kate Middleton e (agora) Meghan Markle com as unhas pintadas

O código de vestuário da família real britânica proíbe unhas escuras

A rainha Elizabeth usa a mesma tonalidade rosa desde 1989

Kate Middleton, em 10 de outubro.
Kate Middleton, em 10 de outubro.

Ninguém duvida que até o mais mínimo detalhe do estilo de Kate Middleton é analisado. E se havia alguma dúvida, foi confirmado pelo que começou a ser discutido por grande parte das revistas britânicas: por que a duquesa de Cambridge nunca pinta as unhas. E a verdade é que há um motivo por trás disso, e é uma decisão que está por cima de uma escolha pessoal da esposa de William da Inglaterra. As regras estilísticas da realeza britânica ditam que só se pode participar de atos oficiais com as unhas pintadas em tons naturais ou diretamente sem esmalte. E, é claro, é uma regra também seguida pela rainha Elizabeth II e que deve ser adotada também por Meghan Markle.

Elizabeth II é uma monarca de tradições, e isso reflete os produtos de beleza que usa. A rainha usa o mesmo esmalte desde 1989, um produto que custa pouco menos de trinta e cinco reais: o Ballet Slippers (sapatilhas de balé, um tom rosa que parece natural e combina com qualquer cor) da Essie, uma informação revelada pela marca garantindo que a cabeleireira da rainha pediu o produto aquele ano, em uma carta por ser “a única cor que sua majestade usa”.

Foto em close das mãos da duquesa de Cambridge, em uma imagem de 2013. ampliar foto
Foto em close das mãos da duquesa de Cambridge, em uma imagem de 2013.

Mas é verdade que a duquesa de Cambridge foi vista usando esmalte colorido, embora em poucas ocasiões. Segundo informa a OK Magazine, a razão para esta decisão é uma questão de etiqueta, já que a família real britânica acredita que unhas falsas ou pintadas com cores brilhantes são vulgares.

No caso da duquesa de Cambridge, ela chegou a misturar dois esmaltes para obter a cor que gosta, um truque que aprendeu com Marina Sandoval, a esteticista de Camilla Parker-Bowles, e que ela mesma contou ao Daily Mail em 2011, que foi o que usou no dia do casamento com o príncipe William em 2011. Portanto agora não parece casualidade que Meghan Markle também tenha optado pela naturalidade em suas mãos para sua primeira aparição pública com o príncipe Harry da Inglaterra nos Jogos Invictus em setembro passado.

A atriz Meghan Markle e Henry da Inglaterra, em 25 de setembro, em Toronto. ampliar foto
A atriz Meghan Markle e Henry da Inglaterra, em 25 de setembro, em Toronto.

O uso da cor não está limitado às unhas, mas também aos lábios. E Kate Middleton que, de acordo com as revistas femininas britânicas tem cerca de 37.000 libras (mais de 160.000 reais) de orçamento anual para beleza, também segue as diretrizes de maquiagem da rainha, usando apenas batons com tons neutros ou rosa pálido. A indústria de cosméticos parece que nunca vai conseguir se beneficiar do chamado efeito Kate que faz com que os vestidos ou imitações que ela usa se esgotem rapidamente nas lojas.

A esposa do segundo na linha de sucessão ao trono britânico já demonstrou em 2017 que se preocupa com as decisões e opiniões da rainha, quando aumentou o comprimento de seus vestidos e saias, e parou de usar cortes que ficavam acima dos joelhos. A rainha ordenou que seu guarda-roupa fosse mais sóbrio e real. Assim, as blusas decotadas também foram vetadas.

Os duques de Cambridge com seus dois filhos, em julho passado. ampliar foto
Os duques de Cambridge com seus dois filhos, em julho passado.

Os códigos de vestuário da família real britânica afetam até mesmo seus membros mais jovens. É por este código que o príncipe George usa shorts mesmo nos dias mais frios do inverno. “As calças compridas são para os meninos mais velhos e os homens, enquanto que os shorts são uma dessas marcas silenciosas de classe social que temos na Inglaterra. Embora os tempos estejam mudando, as calças compridas ainda são consideradas de classe média bastante suburbana. E ninguém quer ser considerado suburbano”, explicava um especialista em protocolo para a edição britânica da Harpers Bazaar. Então Kate Middleton tem que encontrar o equilíbrio entre a tradição monárquica e um guarda-roupa mais informal, tanto para ela como para seus filhos.

MAIS INFORMAÇÕES