Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Oito idosos morrem em asilo que ficou sem ar condicionado após furacão Irma

Vítimas tiveram problemas respiratórios. Outros 115 residentes foram evacuados

Furacão Irma Miami
Asilo interditado

Oito idosos de 71 a 99 anos morreram nesta quarta-feira em um asilo da cidade de Hollywood (150.000 pessoas), na zona metropolitana de Miami. O centro Hollywood Hills Nursing Home havia ficado sem eletricidade no domingo, após a passagem do furacão Irma. A polícia investiga se a tragédia se deveu às altas temperaturas dentro do lar ou a uma intoxicação por monóxido de carbono liberado por um gerador. Três das vítimas morreram nas instalações e outras cinco num hospital. Com essas oito mortes, o impacto do ciclone já fez 20 vítimas na Flórida.

Policiais e bombeiros compareceram à residência e evacuaram 115 idosos. Alguns – segundo afirmou um policial ao El Nuevo Herald, sem detalhar o número – foram hospitalizados em estado crítico. O agente revelou que a primeira hipótese da Polícia sobre a causa do “incidente infeliz” é a falta de ar condicionado, lembrando que foi aberta uma investigação criminal. A polícia visita outros 42 asilos da zona para averiguar se os residentes correm perigo.

O asilo Hollywood Hills havia obtido resultados ruins em diversas inspeções, segundo o Miami Herald. O organismo da Flórida que supervisiona as boas condições dos centros de saúde o catalogou como um estabelecimento “bem abaixo da média”. A residência pertence à empresa de serviços hospitalares Larkin, que em 2006 pagou 15 milhões de dólares (cerca de 46 milhões de reais) de multa por embuste. A Larkin comprou o asilo em 2015 num leilão. O dono anterior havia sido preso por fraudar a seguridade social.

O governador da Flórida, Rick Scott, afirmou: “Serei contundente ao exigir uma resposta sobre como ocorreu essa tragédia.” Em nota, acrescentou que nos últimos dias os responsáveis desse asilo, assim como de outros, foram orientados a ligar para o 911 caso precisassem de ajuda. Na terça-feira, a residência informou às autoridades que contava com aparelhos de climatização.

O furacão Irma atingiu o sul da Flórida no domingo, deixando mais de seis milhões de pessoas sem energia. O sistema elétrico está sendo reativado aos poucos, e a cifra diminuiu para três milhões e meio. Setembro é um dos meses mais quentes na região, com temperaturas acima de 30 graus e muita umidade. Os dias posteriores ao furacão foram muito abafados e obrigaram as pessoas a suportar duras condições em suas casas durante horas, ou mesmo dias, sem ar condicionado.

MAIS INFORMAÇÕES