Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Número de mortos em naufrágio no Pará sobe para 21

Outras 23 pessoas foram resgatadas com vida em embarcação que afundou no rio Xingu

Naufrágio no Pará
Trabalho de resgate da embarcação que afundou no Pará. AFP

O número de mortos em um naufrágio no rio Xingu, no Pará, aumentou para 21, segundo o Governo do Estado. Até esta quinta-feira, 23 pessoas haviam sido resgatadas com vida na embarcação, que continha 48 pessoas — inicialmente, o órgão havia declarado que eram 70. O barco, chamado Comandante Ribeiro e feito de madeira, afundou na noite da última terça-feira, 22 de agosto, por volta de 21h, entre os municípios de Porto de Moz e Senador José Porfírio, em uma localidade chamada Ponta Negra.

Até a noite desta terça-feira, as equipes de resgate haviam localizado dez corpos. Os outros 11 corpos de vítimas foram localizados a uma distância de quatro quilômetros do local do acidente. Eles estão sendo levados para o ginásio municipal de Porto Moz, onde as equipes da perícia farão a identificação. 

Na noite da última quarta-feira, nove das vítimas fatais já haviam sido identificadas, segundo o Governo do Pará. São sete adultos (idades entre 57 e 18 anos), um idoso e um bebê de um ano. A maioria é mulher. A décima vítima cujo corpo já está na cidade ainda aguarda o reconhecimento da família.

A embarcação havia deixado o município de Santarém na noite de segunda-feira com destino à Vitória do Xingu, próximo à usina hidrelétrica de Belo Monte, também no Pará. A causa do naufrágio ainda está sendo investigada. De acordo com a Agência Estadual de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Pará (Arcon), a embarcação não estava legalizada para fazer o transporte de passageiros, pois não estava registrada. A empresa dona do barco, chamada Almeida e Ribeiro Navegação LTDA, havia sido notificada pelos oficiais da Arcon no último dia 5 de junho, diz o Governo do Estado.

O dono da embarcação será ouvido pela polícia nesta quinta-feira. Ele informou, segundo o Governo, que 48 pessoas estavam a bordo, entre tripulação e passageiros. No horário do acidente acontecia uma tempestade e muitos passageiros informaram à polícia que o barco foi atingido por uma tromba d’água, um fenômeno similar a um tornado. “A tripulação disse ter visto, no horizonte, algo com o formato de um funil, acompanhado de muita chuva e vento forte, e que teria pego o barco pela popa e o afundado. De acordo com os relatos, a embarcação girou e afundou em seguida”, informou à Agência Pará o delegado Porto de Moz, Elcio de Deus.

Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, entre os corpos localizados estão o de seis mulheres, dois homens e duas crianças. Eles ainda estão sendo identificados. Foram empregadas três lanchas e três aeronaves na busca de sobreviventes e de possíveis outros corpos. Mergulhadores também trabalham no local do naufrágio.  

Este é o segundo acidente de grandes proporções com embarcações no Pará neste mês. Em 2 de agosto, um navio de cargas colidiu com um comboio de nove balsas no oeste do Estado. Nove pessoas estão desaparecidas desde então.

MAIS INFORMAÇÕES