Atentado terrorista em Barcelona

A polícia detém duas pessoas relacionadas com o ataque

Um dos homens presos era fichado pela polícia e reside legalmente na Espanha. Ele se diz inocente

Atentado terrorista
Atentado terroristaJUAN BARBOSA (EL PAÍS)

O chefe dos Mossos d’Esquadra (a polícia catalã), Josep Lluís Trapero, afirmou na quinta-feira que as forças de segurança prenderam duas pessoas por sua suposta relação com o atentado de Barcelona, mas que o autor do atropelamento em La Rambla está foragido. De acordo com o chefe policial, várias testemunhas relataram como o viram descer da van após atropelar centenas de pessoas e que não carregava arma visível: “Confiamos nas testemunhas”.

Segundo os dados fornecidos por Trapero, o primeiro dos presos é de origem marroquina e foi localizado em Ripoll (Girona). O espanhol, de Melilla, foi preso em Alcanar (Tarragona). Os dois, de acordo com os Mossos, estão ligados ao atentado, mas nenhum deles é o autor direto.

MAIS INFORMAÇÕES

Um dos presos está diretamente ligado à van do ataque, na qual se sabe que apenas uma pessoa estava: “Isso não significa que não possam existir outras pessoas que possam ter colaborado em outros aspectos do atentado, como em sua preparação”. Trapero explicou que no momento do ataque muitos policiais estavam próximos, mas o veículo não pôde ser detido antes pela “grande quantidade” de corpos que deixou no chão pelo caminho.

Trapero também ligou o atentado terrorista com a explosão que ocorreu na noite de quarta-feira em uma casa de Alcanar, em que uma pessoa morreu e outras sete ficaram feridas. O chefe policial afirmou que alguns elementos da investigação fazem com que se conecte de “maneira clara e com poucas dúvidas” o atropelamento com o que aconteceu no município de Tarragona.

O acontecimento de Alcanar ocorreu às 23h17 (18h17 de Brasília) de quarta-feira em uma casa do bairro de Montecarlo, que caiu por conta da explosão com duas pessoas em seu interior: o morto – ainda sem identificação – e um homem, resgatado com ferimentos graves e levado ao hospital Verge de la Cinta de Tortosa (Tarragona). Segundo Trapero, a ligação entre os dois fatos também lhes permitiu capturar o outro preso, que ainda não teve a identidade revelada.

Fontes da investigação indicaram que um dos presos é Driss Oukabir. Segundo o prefeito de Ripoll, ele foi interceptado pela polícia da Catalunha no momento em que ia dar queixa de que sua documentação havia sido roubada. Driss Oukabir era fichado pela polícia e ficou um tempo preso na cadeia de Figueres, de onde saiu em 2012. Ele nega ter envolvimento no atentado.

O EL PAÍS teve acesso ao áudio da gravação em que a polícia de Barcelona informava o que tinha ocorrido no centro da cidade. A gravação dava conta de um “atropelamento” na zona alta de Las Ramblas e o autor, de acordo com esse áudio, era um indivíduo de um metro e setenta centímetros, vestido com uma camisa branca com listras azuis. A chamada ocorreu somente alguns minutos depois do atropelo.

A van que atropelou várias pessoas em la Rambla de Barcelona invadiu a calçada pouco depois das cinco da tarde. O veículo percorreu um total de 530 metros. Fontes policiais confirmam pelo menos 13 mortos e mais de uma centena de feridos.