Supercopa da Espanha

Cristiano Ronaldo, suspenso por cinco jogos após empurrar árbitro e expulsão

Atacante perderá o início do campeonato Espanhol, mas Real Madrid pode recorrer da decisão

Cristiano Ronaldo depois de ser expulso no jogo contra o Barcelona.
Cristiano Ronaldo depois de ser expulso no jogo contra o Barcelona.Alex Caparros (Getty Images)

Cristiano Ronaldo, atacante do Real Madrid, foi suspenso por cinco partidas, após ser expulso do primeiro jogo da final da Supercopa da Espanha no último domingo, 13 de agosto, em que o time madrilenho derrotou o Barcelona por 3 a 1, no Camp Nou. O jogador português viu ofuscada sua primeira grande atuação da temporada ao levar o segundo cartão amarelo por simular um pênalti, ficar irritado e dar um leve empurrão no árbitro, De Burgos Bengoetxea. O gesto, por enquanto custou ao português uma punição de cinco partidas, uma pela expulsão e quatro pelo empurrão, de acordo com a resolução do Juiz Único do Comitê de Competição.

MAIS INFORMAÇÕES

“Estabeleço primeiro suspender por uma partida o jogador Cristiano Ronaldo por dupla admoestação arbitral e consequente expulsão, a primeira por tirar a camisa e a segunda por simular uma falta”, explica a nota. “Segundo, impor ao jogador uma punição de suspensão durante quatro partidas por infração do artigo 96 do Código Disciplinar”.

O Juiz Único não levou em consideração as alegações do Real Madrid, que decidiu recorrer do segundo cartão recebido por Cristiano por entender que o atacante não pretendia simular o pênalti e que a ação de cair no gramado foi um mero lance de jogo fruto do contato com Umtiti. “Pênalti não sei, mas o segundo cartão é exagerado”, disse Zidane no domingo após a partida.

O departamento jurídico do clube passou a manhã desta segunda-feira preparando a defesa do atleta. Dentre as provas apresentadas ao Juiz Único está um vídeo-gráfico da jogada, com o qual procuram elucidar o choque ocorrido entre Cristiano Ronaldo e o zagueiro francês. Essa decisão e o conjunto da atuação de De Burgos Bengoetxea desagradou fortemente a equipe do Real, que deixou o Camp Nou contrariada com a expulsão de seu astro e com a impunidade usufruída, segundo sua avaliação, por Luis Suárez, do Barcelona, e que retomou os treinos na manhã desta segunda-feira.

Divulgada a punição, que não era esperada para antes de quarta-feira pelo clube, o Real usará agora todas as vias possíveis, mesmo admitindo ter pouca esperança de conseguir alguma alteração. Os advogados pedirão uma liminar para a suspensão por um jogo por causa da expulsão de Cristiano Ronaldo, que o impediria de fazer o jogo de volta da Supercopa, e recorrerão à Comissão de Recursos contra a suspensão por quatro jogos por causa do empurrão dado pelo atleta no árbitro e que ele teria de cumprir no Campeonato Espanhol. O Real considera desproporcional a punição por um gesto que o clube alega que não expressou desprezo nem agressividade por parte do jogador, o que, na sua visão, teria ocorrido no lance em que Luís Suárez encarou o árbitro mais agressivamente. O juiz que cuida do caso optou por aplicar o artigo 96, decidindo pela mesma punição recebida pelo ex-atacante do Las Palmas Marko Livaja na temporada passada e pelo técnico Simeone em 2014, sendo esses os antecedentes mais próximos do caso atual.

Enquanto se aguarda a avaliação do recurso pela Comissão, tudo indica que Zinedine Zidane não poderá contar com Cristiano Ronaldo no jogo de volta da Supercopa nem nas primeiras quatro rodadas do Espanhol, em que o time enfrentará o Deportivo, o Valencia, o Levante e o Real Sociedad. Seriam cinco jogos e 34 dias sem Cristiano Ronaldo.