Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Lentes captam a resistência feminina nos morros do Rio

No Brasil, cerca de 50 milhões de pessoas vivem em favelas. Do total, cerca de seis milhões são mulheres que se concentram nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, nas quais os serviços como instalações sanitárias básicas, eletricidade, água, segurança e escolas são praticamente inexistentes.

  • Mulher em frente às janelas do edifício abandonado do Ministério da Fazenda na favela da Mangueira, situada na zona norte do Rio de Janeiro, a menos de um quilômetro do estádio do Maracanã, epicentro da Copa do Mundo de futebol e dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.
    1Mulher em frente às janelas do edifício abandonado do Ministério da Fazenda na favela da Mangueira, situada na zona norte do Rio de Janeiro, a menos de um quilômetro do estádio do Maracanã, epicentro da Copa do Mundo de futebol e dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.
  • Três meninas exibem seus chinelos multicoloridos. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro.
    2Três meninas exibem seus chinelos multicoloridos. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro.
  • Pamela mora em um apartamento de um quarto na favela da Mangueira, no Rio de Janeiro.
    3Pamela mora em um apartamento de um quarto na favela da Mangueira, no Rio de Janeiro.
  • Mulher que vive na favela em frente ao vão de um elevador, atualmente coberto de grafites, no edifício abandonado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Cerca de 40% dos lares das favelas dependem economicamente das mulheres. Entre todas, calcula-se que anualmente ganhem em torno de 8,2 bilhões de dólares do total dos recursos que entram nessas comunidades.
    4Mulher que vive na favela em frente ao vão de um elevador, atualmente coberto de grafites, no edifício abandonado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Cerca de 40% dos lares das favelas dependem economicamente das mulheres. Entre todas, calcula-se que anualmente ganhem em torno de 8,2 bilhões de dólares do total dos recursos que entram nessas comunidades.
  • Martha (segunda à direita) brinca com seus netos. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Mais de 70% dos habitantes das favelas do Rio são negros, diante de menos de um terço dos moradores do restante da cidade.
    5Martha (segunda à direita) brinca com seus netos. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Mais de 70% dos habitantes das favelas do Rio são negros, diante de menos de um terço dos moradores do restante da cidade.
  • A roupa seca em um dos andares do edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Mais de dois milhões de habitantes (cerca de 25% da população) do Rio moram em favelas ou em imóveis ocupados que carecem de serviços como instalações sanitárias básicas, eletricidade, água e segurança, assim como escolas.
    6A roupa seca em um dos andares do edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Mais de dois milhões de habitantes (cerca de 25% da população) do Rio moram em favelas ou em imóveis ocupados que carecem de serviços como instalações sanitárias básicas, eletricidade, água e segurança, assim como escolas.
  • Garoto brinca com seu skate no edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Em 2007, a FIFA anunciou que o Brasil seria o anfitrião da Copa do Mundo de futebol de 2014. Dois anos depois, o país foi escolhido também como palco dos Jogos Olímpicos de 2016. A cidade do Rio de Janeiro, imagem turística do país, foi eleita porta de entrada dos dois acontecimentos esportivos mais importantes do mundo.
    7Garoto brinca com seu skate no edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Em 2007, a FIFA anunciou que o Brasil seria o anfitrião da Copa do Mundo de futebol de 2014. Dois anos depois, o país foi escolhido também como palco dos Jogos Olímpicos de 2016. A cidade do Rio de Janeiro, imagem turística do país, foi eleita porta de entrada dos dois acontecimentos esportivos mais importantes do mundo.
  • Vitória, de 12 anos, em sua casa na favela Vila do Metrô. Mangueira, Rio de Janeiro, Brasil.
    8Vitória, de 12 anos, em sua casa na favela Vila do Metrô. Mangueira, Rio de Janeiro, Brasil.
  • Uma moradora da favela brinca com suas bonecas. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro.
    9Uma moradora da favela brinca com suas bonecas. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro.
  • Menina no sofá. Uma das habitantes do edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro.
    10Menina no sofá. Uma das habitantes do edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro.
  • O quarto de uma menina. Edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Nas favelas, a média de habitantes por moradia é em torno de quatro pessoas.
    11O quarto de uma menina. Edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Nas favelas, a média de habitantes por moradia é em torno de quatro pessoas.
  • Roberta, de 11 anos, na frente do vão do antigo elevador, atualmente cheio de lixo, no edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro.
    12Roberta, de 11 anos, na frente do vão do antigo elevador, atualmente cheio de lixo, no edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro.
  • Ceia faz o pedicure de Alexandra. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Das mulheres (das favelas) com trabalho remunerado, 44% tem emprego na economia formal.
    13Ceia faz o pedicure de Alexandra. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Das mulheres (das favelas) com trabalho remunerado, 44% tem emprego na economia formal.
  • Uma das moradoras da favela brinca fora do edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro, Brasil. Cerca de 66% dos habitantes da favela não a abandonariam e 62% têm orgulho de morar ali.
    14Uma das moradoras da favela brinca fora do edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro, Brasil. Cerca de 66% dos habitantes da favela não a abandonariam e 62% têm orgulho de morar ali.
  • Meninas brincam com batons e maquiagem. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro.
    15Meninas brincam com batons e maquiagem. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro.
  • Várias mães entre 16 e 18 anos jogam bingo usando feijões pretos como marcadores. Todas moram no edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Nas favelas há 25% de mães solteiras. Ao longo dos últimos 10 anos, produziu-se um aumento de 15% no número de nascimentos de mães entre 15 e 19 anos. No Brasil, todo ano cerca de 700.000 jovens desta faixa etária se tornam mães.
    16Várias mães entre 16 e 18 anos jogam bingo usando feijões pretos como marcadores. Todas moram no edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Nas favelas há 25% de mães solteiras. Ao longo dos últimos 10 anos, produziu-se um aumento de 15% no número de nascimentos de mães entre 15 e 19 anos. No Brasil, todo ano cerca de 700.000 jovens desta faixa etária se tornam mães.
  • Mãe faz uma trança em uma de suas filhas. Favela Vila do Metrô, Mangueira, Rio de Janeiro.
    17Mãe faz uma trança em uma de suas filhas. Favela Vila do Metrô, Mangueira, Rio de Janeiro.
  • Moradora da favela em um dos corredores do edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Cerca de 51% dos membros da comunidade da favela conhece alguma mulher que sofreu violência doméstica.
    18Moradora da favela em um dos corredores do edifício abandonado do IBGE. Favela da Mangueira, Rio de Janeiro. Cerca de 51% dos membros da comunidade da favela conhece alguma mulher que sofreu violência doméstica.
  • Menina posa junto a um monte de lixo na favela Vila do Metrô, Mangueira, Rio de Janeiro. Sob o pano de fundo de uma crise econômica que já vem de um bom tempo, provocada principalmente pela corrupção que atinge todos os níveis da política nacional e pelo aumento do desemprego (14 milhões de desempregados, o que representa 13,6% da população economicamente ativa), muitos habitantes do Rio de Janeiro continuam vivendo na miséria.
    19Menina posa junto a um monte de lixo na favela Vila do Metrô, Mangueira, Rio de Janeiro. Sob o pano de fundo de uma crise econômica que já vem de um bom tempo, provocada principalmente pela corrupção que atinge todos os níveis da política nacional e pelo aumento do desemprego (14 milhões de desempregados, o que representa 13,6% da população economicamente ativa), muitos habitantes do Rio de Janeiro continuam vivendo na miséria.
  •  Vista da favela da Mangueira, na zona norte do Rio de Janeiro.
    20

    Vista da favela da Mangueira, na zona norte do Rio de Janeiro.