Seleccione Edição
Login

O que se sabe dos ataques em Londres até agora

Veja detalhes do terceiro atentado terrorista que o Reino Unido sofre em apenas três meses

atentado en Londres
Policias retiram pessoas da área atingida pelo ataque. Getty

O que aconteceu? Dez minutos depois das dez da noite do sábado, uma van atropelou cerca de vinte pedestres na London Bridge. O veículo avançou, depois, em direção ao mercado gastronômico Borough Market, próximo dali, onde os três ocupantes desceram e esfaquearam várias pessoas. A princípio, os terroristas pareciam usar coletes explosivos, mas depois foi esclarecido que eram latas vazias de refrigerante. O ataque foi classificado pela polícia como ato terrorista.

Houve quantos ataques? Dois. As forças de segurança falaram inicialmente da existência de um terceiro incidente na região de Vauxhall, para onde agentes foram enviados. Posteriormente, esclareceu-se que se tratava de um esfaqueamento sem relação com os outros ataques.

O que se sabe sobre os terroristas? Até agora, nada. A polícia matou os três a tiros oito minutos depois de receber o primeiro aviso sobre os atropelamentos, mas não revelou suas identidades. Questionada na manhã deste domingo sobre se conhecia “a identidade dos suspeitos”, a comandante da polícia metropolitana de Londres, Cressida Dick, disse que não sabia. Nenhum grupo armado assumiu a autoria, mas Theresa May responsabilizou o extremismo islâmico pelo ocorrido.

Há prisões? Sim, embora os detidos não sejam autores efetivos dos ataques, pois esses, segundo o Governo britânico, estão mortos. Neste domingo, a Sky News informou que quatro homens e uma mulher foram detidos em Barking, um subúrbio a leste de Londres, onde a polícia efetuou uma operação às sete horas da manhã. Pouco depois, chegou a informação oficial de mais sete detenções. A polícia britânica afirmou, em nota, que agentes da unidade antiterror da polícia metropolitana detiveram “12 pessoas no bairro de Barking relacionadas aos incidentes da noite de ontem na London Bridge e na região do Borough Market”. O comunicado informa que buscas continuam sendo feitas na área. Segundo a BBC, a polícia “efetuou explosões controladas” em um apartamento em Barking que pertencia a um dos três terroristas mortos.

Os ataques deixaram quantas vítimas? Sete pessoas morreram no momento do ataque e outras 48 foram levadas a cinco hospitais. Entre os feridos há um agente da polícia de transportes londrina, um espanhol (ferido sem gravidade), quatro franceses (um deles com ferimentos graves) e dois australianos.

Três atentados em três meses. O terror voltou a atingir o Reino Unido apenas 12 dias depois do ataque que provocou 22 mortes em um estádio depois de um show da cantora Adriana Grande em Manchester. Antes disso, no dia 22 de março, um homem atropelou dezenas de pedestres na ponte de Westminister.

O que Theresa May disse depois dos ataques? A primeira-ministra britânica atribuiu o atentado ao “extremismo islâmico” e destacou que, embora os três ataques não tenham feito parte de uma mesma trama, eles estão “conectados entre si” em um ponto importante: a “perversa ideologia do extremismo islâmico” que os inspira. May anunciou mudanças na polícia britânica em quatro direções: duas no plano internacional (derrotar essa ideologia não do ponto de vista policial ou militar, mas convencendo os povos de que os valores ocidentais são “melhores” e barrando o integrismo na internet) e duas no plano nacional (diminuir a “tolerância” da sociedade com o extremismo e enrijecer as leis e dar mais poderes à polícia).

Em plena campanha eleitoral. O atentado deste sábado ocorreu a apenas quatro dias das eleições gerais do Reino Unido, marcadas para a próxima quinta-feira. Os partidos britânicos voltaram a suspender a campanha eleitoral, em uma demonstração de respeito e de solidariedade para com as vítimas. A exceção foi o partido antieuropeu UKIP, cujo líder, Paul Nuttla, declarou: “Eu me nego a suspender a campanha porque é justamente isso que os extremistas querem que façamos”. A primeira-ministra anunciou que a campanha será retomada nesta segunda-feira e que as eleições estão mantidas para a data prevista, quinta-feira, dia 8.

Um ataque em uma área bastante turística. Testemunhas que estavam perto da ponte contaram ao EL PAÍS que ouviram uma explosão enorme e gritos. A polícia entrou em alguns bares e restaurantes das imediações, cheios de gente naquele horário de sábado, e obrigou as pessoas a se deitarem no chão ou a se protegerem nos banheiros.

Qual é o nível de alerta no Reino Unido? Theresa May dirigiu nesta manhã de domingo uma reunião do comitê de emergências Cobra, do qual participam as direções das áreas de segurança e de inteligência britânicas, mas não fez nenhum anúncio ao final do encontro em relação ao nível de alerta, que continua sendo “severo”. Depois do atentado em Manchester, ele subiu durante alguns dias para “crítico”, mas depois baixou. Essa decisão foi “correta”, segundo afirmou o prefeito de Londres, Sadiq Khan, depois dos ataques deste sábado.

MAIS INFORMAÇÕES