Futebol

FIFA multa o México pela quinta vez por gritos homofóbicos

Órgão que dirige o futebol mundial pune a federação do país pelo grito de “Eh, puto!”

A torcida mexicana durante um jogo da Copa América
A torcida mexicana durante um jogo da Copa AméricaN. Almeida

Mais informações

No México, os torcedores não estão nem aí para as multas da FIFA. Pela quinta vez, o órgão que comanda o futebol mundial puniu a Federação Mexicana de Futebol (FMF) pelos coros homofóbicos entoados por seus torcedores durante os últimos dois jogos da seleção mexicana. Desta vez a Federação pagará até 400.000 pesos (66.000 reais), e outro processo está em andamento.

O grito de “Eh, puto!” (adaptado como “bicha” no Brasil) já foi exportado para as arquibancadas de outros países, quando o goleiro afasta a bola ou bate o tiro de meta. A equipe mexicana jogou em 11 de novembro contra os Estados Unidos no estádio Mapfre, em Columbus (Ohio), e quatro dias depois contra o Panamá, no estádio Rommel Fernández, na capital panamenha. Em ambos os jogos, a torcida mexicana entoou o grito com carga depreciativa. Outros países já punidos pela mesma razão são Argentina, Colômbia, Grécia e Honduras. O Chile foi proibido de usar o Estádio Nacional durante dois jogos, e por isso precisará mudar de casa para os confrontos contra Paraguai e Equador.

Até agora, a FMF já precisou pagar até dois milhões de pesos (330.000 reais) pela atitude de seus torcedores. A FIFA considera esse grito como uma conduta antidesportiva e discriminatória. As advertências do órgão internacional foram claras: se não se acabar com isso, a seleção do México poderá perder pontos nas eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia, em 2018.

No México, os defensores do “puto” argumentaram que tem muitos significados e que não é ofensivo, pois pertence ao vernáculo mexicano, embora seja uma forma depreciativa de se referir aos homossexuais.

No Campeonato Mexicano, o coro ainda vigora em todos os estádios. Foi ouvido até mesmo num jogo de futebol americano da NFL disputado na Cidade do México em novembro. Naquela ocasião, o estádio Azteca gritava “eh, puto!” a cada pontapé do Houston Texans.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete