Seleccione Edição
Login

Um ícone colombiano de ‘comida casual’ que tem filial no Brasil

Crepes & Waffles, fundada em 1980 em Bogotá, fatura 90 milhões de dólares e tem duas filiais em São Paulo

Não vende pratos típicos, mas os colombianos sentem que é um símbolo do país. A rede de restaurantes Crepes & Waffles se tornou um ícone nacional. Desde sua primeira loja, aberta em 1980, a marca não parou de evoluir e se expandir. A modesta venda de crepes no norte de Bogotá, que nasceu timidamente a partir da ideia de um casal de jovens estudantes de Administração de Empresas, se tornou um dos maiores casos de sucesso empresarial na Colômbia. Hoje, suas vendas chegam a 90 milhões de dólares anuais e seus criadores dão palestras pelo mundo sobre como conseguiram consolidar sua rede de restaurantes, que conta com 29 pontos de venda nas principais cidades do país. Em 1995, chegaram ao Equador e desde então se expandiram pelo Brasil – onde mantêm duas filiais em São Paulo desde 2009 –, Chile, Espanha, México, Panamá, Peru e Venezuela.

Restaurante colombiano Crepes & Waffles em SP
Filial do Crepes & Waffles em Madri.

A história de como criaram a Crepes & Waffles foi contada por Beatriz Fernández e Eduardo Macías em diferentes palcos. É uma lição de como se deve acreditar no que está fazendo, mas sobretudo é uma lição de como pensar um negócio, mais pelo lado humano que dos números. “Não dá para medir as emoções dos clientes. Os números são terríveis, fazem com que sejamos racionais demais”, afirmou Macías em várias ocasiões, uma das cabeças deste restaurante, que tem como política que pelo menos 10% das pessoas contratadas sejam as que costumam ser rejeitadas na maioria dos empregos. “É melhor ter pessoas com atitude que com aptidão. É preciso dar uma oportunidade às pessoas”.

Receitas da avó

O primeiro Crepes & Waffles abriu suas portas em 13 de abril de 1980. Beatriz Fernández diz que começaram com “zero experiência, mas uma imensa paixão”. Eles não podiam imaginar que a madeira simples que servia de balcão para a creperia, que oferecia um menu discreto, ia se expandir rapidamente por todo o país com um menu variado e criaria um selo com o qual os colombianos se identificariam.

“As primeiras receitas dos crepes eram da avó do Lalo (Eduardo). Tiramos os waffles de um livro inglês. No início, pareciam tijolos. Eram bem pesados”, diz Fernández, lembrando que quinze dias depois da abertura da primeira loja, apareceu uma senhora para dizer que os waffles que eles faziam eram “horríveis”. A mulher, que em sua visita entrou na cozinha onde havia apenas alguns utensílios, voltou uma hora mais tarde com um recipiente e massa para preparar waffles, além da receita escrita em um papel. Essa é a fórmula que continuam usando até hoje.

O diretor econômico da Federação Nacional de Comerciantes (Fenalco), Rafael España, diz que a Crepes & Waffles é, para os colombianos, o mesmo que “Tim Hortons para os canadenses ou Astrid & Gaston para os peruanos. Quer dizer, um ícone”. España assegura que, enquanto na América, em geral, as empresas de comida que mais faturam são franquias norte-americanas, “aqui os primeiros lugares são ocupados por empresas que começaram na Colômbia, como a Crepes & Waffles”. Acrescenta que “para o colombiano médio, este restaurante merece sua admiração. Por sua comida e porque privilegia o emprego feminino, apoiando as mães solteiras”. Para o especialista, é um modelo de negócio tão bem sucedido, que não devemos estranhar se, em um futuro próximo, algum fundo de investimento norte-americano mostre interesse em comprar a empresa.

De acordo com a Superintendência de Sociedades, entidade estatal que fiscaliza, vigia e controla as empresas comerciais, o lucro desta empresa passou de 3,4 milhões de dólares no ano 2012 para 6,7 milhões em 2015. O negócio, que começou com um orçamento de pouco mais de 10.000 dólares, não tinha um plano de negócios definido. Seu único impulso era a vontade e a dedicação. “Não tínhamos dinheiro para fazer estudos de nada, no entanto o mais grave é se afogar no planejamento e não arrancar. Isso é muito grave. Conheço muitos que não começam por excesso de variáveis que querem controlar. E nisso há muito acaso”, diz seu criador.

Nesta rede de restaurantes, os preços variam entre 5 e 20 dólares e uma de suas vantagens no mercado é que não possui concorrentes diretos, o que permitiu se converter no ponto de referência de um menu que, embora não seja típico do país, soube incorporar pratos à base de frutas exóticas e tradicionais. Raúl Ávila, da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Nacional da Colômbia, assegura que a marca, como poucas no país, conseguiu que seus clientes sejam de diferentes condições econômicas. “Ela tem tantos produtos e com preços acessíveis para a média dos colombianos. Alguém pode comprar de um sorvete a um ótimo jantar”, diz Ávila, destacando a Crepes & Waffles como “uma das empresas de alimentos com maior faturamento na Colômbia. A inovação em seus processos, seu menu dinâmico e a localização de suas lojas em pontos estratégicos, como aeroportos, permitiu que tivesse uma posição de qualidade no mercado”.

Não houve uma fórmula para seu desenvolvimento. As mentes por trás desta rede de restaurantes asseguram que é importante seguir uma ordem, mas que é preciso quebrar paradigmas. Macías acrescenta que seu restaurante tenta “democratizar a gastronomia”. A rede contrata mais mulheres do que homens, quase todas elas mães de família com um papel ativo na economia do lar e que, portanto, valorizam seu trabalho. “Chegamos à conclusão que queríamos ter uma empresa admirada, não queríamos ser os mais ricos, nem os maiores, mas os mais admirados por nossa responsabilidade social”. Sua esposa diz que vê os restaurantes como uma obra de arte, na qual eles são os artistas, os clientes são o público e o reconhecimento acontece cada vez que alguém volta a uma de suas lojas.

Cronologia

1980. Dois estudantes de Administração de Empresas abrem a primeira loja de Crepes & Waffles na Carrera 11ª na Zona Rosa de Bogotá.

1984. A empresa abre sua primeira loja fora da capital colombiana ao se instalar em Cartagena de Indias. Durante a década seguinte chegariam a Cali e Medellín.

1995. Primeira expansão internacional: a empresa abre seu primeiro restaurante no Equador, na avenida Francisco de Orellana em Quito. Panamá e Venezuela viriam a seguir.

2001. Crepes & Waffles dá o salto transatlântico inaugurando sua primeira loja na Espanha, no centro comercial Diversia de Alcobendas (Madri). Nesse mesmo ano, chegariam ao México.

2009. Desembarcam no Brasil e abrem duas filiais em São Paulo. Uma fica no shopping Vila Olímpia e a outra, no Anália Franco.

2013. Abrem o restaurante Arte Sano em Bogotá, um “laboratório de ideias” em torno da marca. Durante este tempo, a empresa também se instalou no Peru, Brasil e Chile.

MAIS INFORMAÇÕES