caso neymar

Pai de Neymar rebate: “Antes de dizer que sonegamos, que prove”

Neymar falou com o 'Fantástico' ao lado do pai sobre as denúncias do procurador brasileiro

Neymar em entrevista ao 'Fantástico'.
Neymar em entrevista ao 'Fantástico'.Reprodução

MAIS INFORMAÇÕES

Para rebater também as denúncias que correm pela justiça espanhola, o atleta deu a entrevista deste domingo, 31 de janeiro, ao lado do pai do atleta, quem falou mais, visivelmente nervoso e irritado. “Se querem holofotes, vão conseguir. Queremos esclarecer essa situação o mais rápido possível”, disse o pai, que é representante e sócio de Neymar em suas três empresas. Ambos poderão responder por sonegação fiscal e falsidade ideológica, caso a Justiça brasileira decida transformá-los em réus nos próximos dias. Diante das câmeras da Globo, Neymar pai foi enfático: “A gente quer dar um basta nisso (...). Antes de sair falando besteira, que sonegamos, que prove”, provocou, referindo-se à iniciativa de Lacerda.

“Nos acusam de abrir uma empresa só com dois funcionários. Que empresa começa com 300, 400 funcionários? Só tinha o Santos como fonte pagadora. Só eu podia fazer a gestão de imagem do meu filho”, disse, sobre a primeira empresa aberta (em 2006) para a administração da carreira de Neymar, a Neymar Sport e Marketing. Hoje, existem também a N & N Consultoria Esportiva e a N & N Administração de Bens –, que têm em seus quadros (todas) 170 funcionários contratados regularmente, segundo Neymar da Silva Santos. Questionado sobre a suposta diferença de valores da venda do craque do Santos para o Barcelona, ele respondeu à correspondente da Globo na Europa: “Foi entre o Santos e o Barcelona. Pergunte para eles”.

O tom irritadiço foi suavizado quando ele admitiu a possibilidade de terem cometido algum “erro”. “Se a gente cometeu algum erro tributário, ou [houve] alguma coisa que a gente fez errado, não tem problema nenhum. Diz: ‘Vocês erraram’. Agora, nos acusar de sonegação fiscal ou de adulterar documentos. Isso já é passar dos limites, né?”. Poucas foram as intervenções de Neymar na entrevista, mas, ao falar, o atacante tratou de garantir que continua a “jogar bola”. “Meu pai faz de tudo para que eu só jogue bola. Só que a partir do momento que a pessoa que você ama está sofrendo com isso, [passa] o dia inteiro falando disso, aí começa a doer. Porém, “quando eu entro em campo, esqueço todos os meus problemas. É um dom de ser mais focado no que eu amo fazer”.