Alemanha

Polícia alemã encontra os cadáveres de oito bebês em um apartamento

Residência é de uma mulher procurada pela polícia como possível mãe das crianças

Exterior da casa em Wallenfels. Nicolas Armer (AFP) (reuters_live)

A polícia da Alemanha encontrou os cadáveres de oito bebês em um edifício da localidade de Wallenfels (2.800 habitantes, no norte da Baviera), segundo informaram fontes policiais. No início haviam anunciado sete bebês, mas na tarde desta sexta-feira especificaram que são oito. O achado ocorreu na quinta-feira pela tarde, depois que uma equipe de socorro se deslocou para uma casa do vilarejo, mas só agora foi detalhado o número de cadáveres.

A investigação do caso está em mãos do Ministério Público e da polícia de Coburg, que afirmou que os corpos se encontram “em mau estado” de conservação e pediu que seja aguardada a conclusão do trabalho dos legistas forenses para determinar se pode haver mais cadáveres. Os encarregados de apurar o caso deram uma entrevista à imprensa nesta sexta-feira para informar sobre o achado.

Mais informações

Segundo os primeiros dados entregues pela polícia, a equipe médica foi à residência depois de receber uma chamada que alertava sobre a existência dos cadáveres. Trata-se da moradia de uma mulher de 45 anos, procurada para ser interrogada como possível mãe dos bebês.

Está previsto que ainda nesta sexta-feira sejam iniciadas as autópsias nos corpos, embora os investigadores acreditem que até princípios da semana que vem não será possível determinar a causa das mortes, quando ocorreram ou mesmo o sexo dos bebês.

O caso de Wallenfels se segue a outros crimes semelhantes ocorridos na Alemanha, como a localização dos corpos de cinco crianças, em 2013, em uma casa de Schleswig-Holstein (norte). O mais grave foi o caso dos nove bebês encontrados enterrados em diferentes vasos de uma casa no Estado de Brandemburgo (leste), em 2005. O crime múltiplo foi cometido por uma mesma mulher, condenada a 15 anos de prisão pelo assassinato de nove de seus treze filhos entre 1992 a 1998. A mulher havia ocultado sucessivas gravidezes e havia matado as crianças logo após dar à luz.

Mais informações

O mais visto em ...

Top 50